O poema mais cheiroso de Carlos Drummond

Minha flor minha flor minha flor.
Minha prímula meu pelargônio meu gladíolo
meu botão-de-ouro.
Minha peônia.
Minha cinerária
Minha calêndula
minha boca-de-leão.
Minha gérbera.
Minha clívia.
Meu cimbídio.
Flor flor flor.
Floramarílis. Floranêmona. Florazálea. Clematite minha.
Catléia delfínio estrelítzia.
Minha hortensegerânea.
Ah, meu nenúfar. rododendro e crisântemo
e junquilho meus.
Meu ciclâmen.
Mcieira-minha-do-japão.
Calceolária minha.
Daliabegônia minha.
Forsitiaíris tuliparrosa minhas.
Violeta… amor-mais-que-perfeito.
Minha urze.
Meu cravo-pessoal-de-defunto.
Minha corola sem cor
E nome no chão de minha morte.

Ouça o próprio Drummond declamando este poema:

 

TEXTO DECarlos Drummond de Andrade
FONTERaízes no Youtube
COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS