A explicação da eternidade – Um belíssimo poema de José Luís Peixoto

José Luís Peixoto é escritor, nasceu no dia 4 de Setembro de 1974 em Galveias, Ponte de Sor – Portugal.  A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias traduzidas num vasto número de idiomas e estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras.  No poema “A explicação da eternidade”, José Luis se vale do fator tempo como agente transformador de todas as coisas. Um poema misterioso que se dissolve como o último lote de areia na ampulheta e diz-nos: somos eternos até o fim. Confira a bela interpretação do ator Ivan Lima e logo abaixo o poema na íntegra.

A explicação da eternidade – de José Luís Peixoto

Devagar, o tempo transforma tudo em tempo.
o ódio transforma-se em tempo, o amor
transforma-se em tempo, a dor transforma-se
em tempo.

os assuntos que julgamos mais profundos,
mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis,
transformam-se devagar em tempo.

por si só, o tempo não é nada.
a idade não é nada.
a eternidade não existe.
no entanto, a eternidade existe.

os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos.
os instantes do teu sorriso eram eternos.
os instantes do teu corpo de luz eram eternos.

foste eterna até ao fim.

José Luís Peixoto, in “A Casa, A Escuridão”

COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS