Essa foto é sua? Por favor entre em contato

Amor com amor se paga

Portal Raízes

Todos nós merecemos um amor verdadeiro que nos permita ser pessoas melhores a cada dia, sem enfeites e com honestidade. Esse tipo de sentimento acalma os medos e nutre nossa alma. Isto nos permite ser mais felizes e não nos fere deliberadamente.
Nós merecemos encontrar um outro coração e perceber que somos capazes de nos comunicarmos com ele sem fingimentos, que não é preciso lutar constantemente para mantê-­lo por perto, que o amor flui livremente e que a razão e a emoção se complementem.

Encontrar o amor da sua vida todos os dias na mesma pessoa

Se deixarmos o amor crescer, ele será a sensação mais completa e gratificante que alguém pode sentir. Portanto, apaixonar-se nunca pode ter um sabor amargo, principalmente se for correspondido de forma sincera e honesta.

O amor é compromisso e liberdade, o incentivo que leva alguém a escolher sempre a mesma pessoa para compartilhar a sua vida. É compreender a cumplicidade em um relacionamento e usá-la para criar um mundo à parte onde se sintam seguros.
É perceber o quanto é difícil manter acesa a chama do amor, e entender que não podemos nos esquecer de tentar mantê-la ao longo dos anos. Renove as emoções, monte um quebra-cabeças em que as semelhanças se encaixem com as discordâncias,e corra o risco de saltar para o vazio, mesmo sabendo que poderá cair.

O amor somente entende a ternura, o respeito, o erotismo e o carinho mútuo. É calor, impulso, idealização, significado e vida. Então, por que aceitar que às vezes se transforme em algo cruel? Por que ainda chamamos de “amor” se não há mais nada disso?

O amor que machuca não é amor

Amar alguém pode ser simples e muitas vezes complicado. Às vezes, em nome do amor, nos conformamos com situações inaceitáveis. O amor que causa sofrimento para chegar a um final feliz como nos filmes não é real. O amor pode causar sofrimento, mas nunca machuca “de propósito”.

Quando duas pessoas se amam, a única intenção é ver a outra pessoa feliz, mesmo que elas decidam se separar por algum motivo. Não existe reciprocidade se o amor é tóxico, se não é saudável, se uma das pessoas tem que se anular para mantê-lo.
O amor que nos fere com os ciúmes exagerados, com a ignorância, com o abuso psicológico ou abuso físico, não pode ser chamado de amor verdadeiro porque o amor se paga com amor e carinho mútuo.

Para amar o outro é preciso amar a si mesmo

As pessoas acreditam que para serem completas e não sentirem solidão precisam amar o outro: é a ideia de encontrar “a metade da laranja” que nos falta, a fim de construir uma nova vida e ser feliz. No entanto, essa noção pode ser errada e perigosa.

Alguns dos grandes pensadores da história definiram a impossibilidade de amar o outro sem amar a si mesmo em primeiro lugar. Precisamos nos ver como “laranjas completas”, ou seja, “pessoas inteiras” que precisam cultivar o amor próprio para poderem compartilhá-lo com os outros.

Se desejamos um relacionamento honesto, onde cada um seja capaz de oferecer ao outro a oportunidade de se conhecer mutuamente, precisamos conhecer a nós mesmos. Precisamos entender o que estamos buscando exatamente, quais são os nossos medos e desejos, como podemos crescer individualmente e o que esperamos da outra pessoa.

Publicado originalmente em A mente é maravilhosa

Leia também:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes
Portal Raízes Jornalismo Cultural

COMENTÁRIOS