amor maduro

A beleza do amor maduro em 16 filmes apaixonantes

Portal Raízes

O amor maduro é um dos mais bonitos, provavelmente por acontecer quando estamos distraídos. Quase sempre ele aparece sem avisar e deixa marcas profundas naqueles que desfrutam de sua beleza, uma beleza livre dos delírios da juventude. Nos filmes dessa lista todos os encontros acontecem por acaso. O amor aparece e traz mais beleza para a vida dos que são tocados por ele, independente do desfecho racional de cada história. Alguns filmes estão na Netflix. Espero que gostem da seleção.

1. Sommersby – o retorno de um estranho, 1993

Jack Sommersby (Richard Gere), foi dado como morto na Guerra Civil Americana, contudo reaparece após seis anos. Antes rude e amargurado, o novo Jack é gentil e dedicado. A drástica mudança intriga sua esposa, Laurel (Jodie Foster), assim como os vizinhos. Enquanto Laurel se apaixona cada dia mais pelo “novo” marido, os demais moradores da região, certos de que há algo errado com Jack, tentam desvendar esse mistério. Filme que marcou época. Fala de uma segunda chance no amor. Na Netflix.

2. O paciente inglês, 1996

No final da Segunda Guerra Mundial, um desconhecido (Ralph Fiennes) que teve queimaduras generalizadas quando seu avião foi abatido e é conhecido apenas como o “paciente inglês” acaba recebendo os cuidados de uma enfermeira canadense (Juliette Binoche). Gradativamente ele começa a narrar o grande envolvimento que teve com a mulher (Kristin Scott Thomas) do seu melhor amigo (Colin Firth) e de como este amor foi fortemente correspondido. Mas da mesma forma que determinadas lembranças lhe surgem na mente, outros detalhes parecem não existir, como se ele quisesse que tais fatos continuassem enterrados e esquecidos. Um filme maravilhoso e muito premiado.

3. Um dia especial, 1997

Melanie Parker (Michelle Pfeiffer), uma arquiteta, e Jack Taylor (George Clooney), um colunista de um jornal, se encontram quando seus filhos se atrasam e perdem um passeio da escola. A partir de então o que deveria ser um dia normal de trabalho acaba sendo uma loucura de idas e vindas entre celulares, filhos e várias outras crises que ameaçam acabar com as carreiras dos dois em apenas 12 horas. Os dois personagens principais são divorciados. As semelhanças entre os dois terminam por aí. Um filme muito divertido com atuações sensacionais.

4. Alguém tem que ceder, 2004

Harry Sanborn (Jack Nicholson) é um executivo que trabalha no ramo da música e que namora Marin (Amanda Peet),muito mais nova que ele. Harry e Marin decidem ir até a casa de praia da mãe dela, Érica (Diane Keaton), para visitá-la. Lá Harry sofre uma parada cardíaca, ficando sob os cuidados de Érica e de Julian (Keanu Reeves), um jovem médico local. Aos poucos Harry percebe que está se interessando cada vez mais por Érica, mas tenta esconder seus sentimentos. O jovem médico também sente atração por ela e torna-se um rival de Harry na disputa pelo coração de Érica. Filme imperdível.

5. Tinha que ser você, 2008

Harvey Shine (Dustin Hoffman) é um compositor de jingles que está com o emprego em risco. Marvin (Richard Schiff), seu chefe, o alertou de que terá apenas mais uma chance. Em um fim de semana ele viaja a Londres para acompanhar o casamento de Susan (Liane Balaban), sua filha, mas precisa estar de volta a Nova York na segunda, devido a uma reunião importante. Ao chegar Harvey descobre que Susan escolheu Brian (James Brolin), seu padrasto, para levá-la ao altar. Aborrecido, Harvey decide deixar o casamento antes da recepção e parte para o aeroporto, mas perde o vôo. Com isso ele é demitido por Marvin, o que o leva até um bar para afogar as mágoas. É lá que conhece Kate (Emma Thompson), uma funcionária do Departamento de Estatísticas Nacionais que se sensibiliza por sua situação. O filme é maravilhoso. Só a atuação de Dustin Hoffman e Emma Thompson já vale o filme.

6. Noites de tormenta, 2008

A vida de Adrienne Willis (Diane Lane) está um caos, o que faz com que busque refúgio em Rodanthe, uma pequena cidade litorânea na Carolina do Norte. Lá ela fica na pousada de uma amiga, onde pretende refletir sobre seus problemas relacionados à filha adolescente e ao seu antigo marido. Logo chega ao local o Dr. Paul Flanner (Richard Gere), que enfrenta uma crise de consciência. Com uma violenta tempestade se aproximando, eles se conhecem melhor e, buscando consolo um no outro, têm um fim de semana que muda para sempre suas vidas. Esse filme foi inspirado em um livro de Nicholas Sparks.

7. Austrália, 2009

É início da 2ª Guerra Mundial e Sarah Ashley (Nicole Kidman) é uma arrogante aristocrata inglesa, que possui uma fazenda de gado na Austrália. Ela viaja ao país para reencontrar o marido, mas ao chegar descobre que ele foi assassinado. Para não perder a fazenda, ela se une a um vaqueiro (Hugh Jackman) e a um garoto aborígene Nullah (Brandon Walters). Juntos eles precisam levar um rebanho de gado até Darwin, no interior do país. Esse filme é completo; tem drama, romance, aventura, ação, comédia e um amor maduro para balançar os corações mais sensíveis.

8. Cópia fiel, 2010

Esse filme conta a história do encontro entre um homem e uma mulher, numa aldeia italiana no Sul da Toscana. O homem é um escritor inglês que vem dar uma conferência; a mulher, uma galerista francesa. É uma história universal que poderia acontecer a qualquer um e em qualquer lugar. Uma relação madura, muito bem encenada pelos personagens, cheia de descobertas particulares e segredos bem entrelaçados.

9. O segredo dos seus olhos, 2010

Benjamin Esposito (Ricardo Darín) se aposentou recentemente do cargo de oficial de justiça de um tribunal penal. Com bastante tempo livre, ele se dedica a escrever um livro. Benjamin usa sua experiência para contar uma história trágica, a qual foi testemunha em 1974. Na época foi designado para investigar o assassinato de uma bela jovem. É desta forma que Benjamin conhece Ricardo Morales (Pablo Rago), o marido dessa jovem. E conta com a ajuda de um grande amigo e de Irene Menéndez Hastings (Soledad Villamil), sua chefe, por quem é apaixonado. Baseada no livro “La pregunta de sus ojos” de Eduardo Sacheri, a produção é um desses poucos casos em que uma obra escrita é superada pela adaptação. Na Netflix.

10. Amor é tudo que você precisa, 2012

Ida (Trine Dyrholm) está passando por um momento terrível. Ao mesmo tempo em que se recupera do tratamento de um câncer, ela descobre que seu marido a está traindo com uma jovem contadora. De quebra, ela ainda sofre um acidente de carro quando está indo para o casamento da filha, em plena Itália. O que Ida não imagina é que o outro carro envolvido no acidente pertence a Philip (Pierce Brosnan), o pai do noivo. Diante da situação, eles resolvem ir juntos ao local da cerimônia e, ao chegar, começam a se envolver romanticamente. Um filme que fala de esperança e amor.

11. A delicadeza do amor, 2012

Nathalie (Audrey Tautou) é jovem, bonita, tem um casamento perfeito e leva uma vida tranquila, com tudo no lugar. Contudo, quando seu marido vem a falecer após um acidente, seu mundo vira de cabeça para baixo. Para superar os momentos tristes, ela decide focar no trabalho e deixa de lado seus sentimentos. Até o dia em que ela, sem mais nem menos, tasca um beijo em Markus (François Damiens), seu colega de trabalho e os dois acabam embarcando numa jornada emocional não programada, revelando uma série de questões até então despercebida por ambos, o que os leva a fugir para redescobrir o prazer de viver e entender melhor esse novo amor. Um filme francês bonito e atraente com uma ótima atuação de Audrey Tautou.

12. Uma nova chance para amar, 2014

Após o marido morrer afogado em uma praia mexicana, Nikki (Annette Bening) fica devastada. Cinco anos depois, ela ainda sente falta do marido, por mais que tenha seguido adiante em uma carreira de sucesso como decoradora de imóveis que estão prestes a serem vendidos. Um dia, ela encontra por acaso um homem parecidíssimo com seu grande amor: Tom (Ed Harris). Impressionada com a semelhança, Nikki resolve segui-lo e descobre que ele é professor de artes. Logo ela o contrata para que lhe dê aulas particulares de pintura, de forma que esteja sempre por perto. Eles começam então um romance maduro. Na Netflix.

13. O farol das orcas, 2015

Beto (Joaquín Furriel) mora na Argentina e é um homem solitário que trabalha como guarda florestal em um Parque Nacional. Lola (Maribel Verdú) é espanhola e é mãe de Tristán (Joaquín Rapalini), um menino autista. Depois de ver Beto num documentário, desesperada, Lola vai com o filho para Argentina em busca de ajuda. Um pouco relutante no início, Beto concorda em ajudar Tristán. Com o passar dos dias Beto e Lola passam a se gostar e se amam dentro daquilo que lhes é permitido. Filme baseado em fatos reais. Disponível na Netflix.

14. Blue Jay, 2016

Quando estão retonando para sua pequena cidade natal na Califórnia, dois ex-namorados (Mark Duplass e Sarah Paulson) do ensino médio se encontram por um acaso. Os dois lembram do passado que compartilharam e passam a refletir sobre ele, levando em conta suas vidas atuais, que parecem não tão satisfatórias para eles. Um filme lento, com longos diálogos e todo em preto e branco. Super realista! Para quem gosta de filmes alternativos. Na Netflix.

15. Aliados, 2017

Em uma missão para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, os espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) se apaixonam perdidamente e decidem se casar. Os problemas começam anos depois, com suspeitas sobre uma conexão entre Marianne e os alemães. Intrigado, Max decide investigar o passado da companheira e os dias de felicidade do casal vão por água abaixo. A primeira metade do filme agrada aos mais românticos, é nela que a relação de ambos se estabelece. Na segunda metade há muita ação e o desenlace da trama.

16. Nossas noites, 2017

Addie Moore (Jane Fonda) é uma viúva solitária que decide certa noite convidar o vizinho também viúvo Louis Waters (Robert Redford) para dormir em sua casa. A proposta inusitada, que tem por objetivo ajudar os dois a vencer a insônia, a princípio deixa o professor aposentado sem reação, mas conforme eles colocam o projeto em prática uma bonita relação de cumplicidade floresce. Baseado na obra homônima de Kent Haruf e dirigido pelo indiano Ritech Batra, esse filme, cheio de atuações marcantes e emocionantes, é um retrato profundo e verdadeiro sobre como que é estar sozinho em um momento na vida em que estamos profundamente sensíveis e fragilizados. Felizmente o amor não tem idade para acontecer. Na Netflix.

Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes

Portal Raízes Jornalismo Cultural


COMENTÁRIOS