Os casados mantêm mais contato com ex do que os solteiros, diz estudo

Manter a ideia, em segundo plano, de voltar com seu ex pode ser um problema. É bastante comum para as pessoas continuar a manter contato com o ex-parceiro romântico.  Mas o que acontece quando você entra em um novo relacionamento? Você mantém contato com um ex ou o afasta da sua vida? O contato frequente ou eventual pode ser ruim para o seu novo relacionamento. Notadamente se o seu ex ainda está vivo.

Em dois estudos, Lindsay Rodriguez e seus colegas examinaram os jovens adultos em relacionamentos românticos. Em seguida foi perguntado aos jovens pesquisados se eles se comunicam com o ex, por que eles mantêm o contato, e o que isso diz sobre seu relacionamento atual.  O primeiro estudo analisou o comportamento de 260 estudantes universitários.  Foi informado aos pesquisadores que estavam com seu parceiro atual a, pelo menos, um mês. E que tiveram um relacionamento anterior que durou, pelo menos, três meses.

Os pesquisadores descobriram que cerca de 40% dos alunos mantiverem contato com um ex. Para a grande maioria (mais de 90%), esta comunicação começou pouco depois da separação, mas o contato continuou a ocorrer pelo menos uma vez a cada dois meses. A maioria das pessoas não se comunica com o seu ex com muita frequência. Um pequeno subgrupo – 13% – fez contato com seu ex várias vezes por semana.

Qual o grupo que é mais provável que fique em contato com um ex? Os participantes casados, os que estavam em um relacionamento sério ou quem já estavam namorando se revelaram menos propensos a ter contato com um ex. No entanto, o relacionamento contínuo com um ex não estava relacionado com o quão sério tinha sido o relacionamento com o ex. O grupo jovem estava mais propenso a se comunicar com o ex em razão de que ainda havia algum sentimento pelo ex. Outro motivo de ficar em contato com o ex é porque sentiram que o rompimento fora pacífico, caracterizado pela compreensão e entendimento. Finalmente, aqueles que relataram que não ‘desencarnaram’ do rompimento foram mais propensos do que os outros a manter contato com sua ex.

Que implicações que isso tem para as relações atuais das pessoas? Em geral, aqueles que ficaram em contato com um ex, tenderam a ser menos comprometidos com seu parceiro atual do que aqueles que não fizeram nenhum contato.  Mas o contato com um ex ou uma ex não foi determinante na forma de como eles encontraram o seu novo relacionamento.

Em um segundo estudo, os pesquisadores exploraram de que modo o contato com o ex está relacionado com a qualidade do relacionamento atual.  Examinaram as razões de as pessoas se manterem em contacto com o ex ou uma ex. 169 estudantes de graduação em relações sociais foram examinados. Eles disseram que se comunicavam com um ex pelo menos uma vez a cada dois meses.

Desta vez, a equipe encontrou uma ligação entre o contato com um ex e a qualidade do relacionamento atual: No contato frequente com um ex, os participantes se revelaram menos satisfeitos com o seu relacionamento atual.

Estes dois estudos, em análise conjunta, sugerem que apenas fazer contato com um ex não indica se você está feliz com o seu parceiro atual, mas pode indicar se o contato for frequente.

Os pesquisadores também pediram aos participantes para avaliar quatro motivos. Cada um escreveu de forma diferente as suas razões para se comunicar com seu ex. Esta foi a conclusão:

  • Sua amizade com seu ex é forte e saudável.
  • Seu ex é visto como um possível “reserva” se o relacionamento atual falhar.
  • Seu ex ainda é parte do seu grupo de amigos.
  • Você sente como se ainda fosse parceiro pelo muito tempo que já passou por muita coisa com seu ex.

Como esses motivos se relacionam com a qualidade das relações atuais dos participantes? Aqueles que mantiveram contato porque eles estavam mantendo o ex como um ‘reserva’ mostraram ser menos satisfeitos e comprometidos com seu parceiro atual. Por outro lado, se eles estavam se comunicando com um ex porque essa pessoa ainda era parte de sua rede social, se mostravam mais satisfeitos com a sua relação atual.  Para a maior parte, entretanto, comunicar-se com um ex porque eles ainda eram amigos ou porque tinham investido muito no relacionamento não estava relacionado à forma como os entrevistados se sentiam a respeito do seu parceiro atual.

Você ainda mantém contato com o seu ex?

A resposta não é simples; sim ou não pode ser difícil. Entretanto, você deve pensar sobre seus motivos para querer continuar o contato com o seu ex. Se você estiver usando um ex como um ‘reserva’, o contato é capaz de prejudicar o seu relacionamento atual. Outra pesquisa mostrou que lembranças de seu ex pode mantê-lo ligado a esta pessoa.

O que será melhor para você: Pendurar o seu ex com um ‘reserva’ se o seu relacionamento atual fracassar ou o relacionamento atual é um

‘reserva’ do seu ex? Pesquisa longitudinal sugere que é um pouco de ambos: Saudade frequente de um ex está associada a uma certeira diminuição da satisfação com o seu parceiro atual. E se diminuir a satisfação com o parceiro ou parceira atual, ao longo do tempo pode associar ao aumento de anseio pelo ex. Os autores desta pesquisa também apontam que, se você fez contato com um ex antes de conhecer o seu parceiro atual, certamente você vai entrar nesse novo relacionamento menos comprometido.

Há razões para ter ciúmes se o seu parceiro é amigável com um ex?

Saber que o seu parceiro atual ainda está em contato com um ex certamente pode gerar ciúmes.  Na era Facebook, é muito fácil saber se um parceiro ainda está em contato com seu ex.  Se o seu parceiro ou parceira se comunica com um ex, ele, não necessariamente, pensa negativamente sobre o seu relacionamento. Se esse ex é apenas parte de sua grande rede social, é mais provável que o parceiro atual não se sinta afetado com este fato. O único motivo negativo de interagir com um ex é quando se percebe problemas associados ao relacionamento atual. E se, por outro lado, estiver pensando no ex como um parceiro na reserva.

Esta pesquisa mostra que manter contato com o seu ex pode ser considerado normal, mas se ele indica um problema transverso com o seu relacionamento atual, provavelmente este é um vínculo danoso.

Texto de Gwendolyn Seidman, Ph.D., professor de psicologia associada na Albright College. 

Texto publicado originalmente em Psychology Today – Tradução e adaptação livre: Portal Raízes.  

Referências

1 Kellas, J., Feijão, D., Cunningham, C., & Cheng, KY (2008). Os ex-arquivos: Trajetórias, transformando pontos e ajuste no desenvolvimento de relações de pós-dissolutioral Jornal de Relações Pessoais e Sociais, 25, 23-50..

2 Schneider, CS, e Kenny, DA (2000). Cruzados do sexo amigos que já foram parceiros românticos: Eles são amigos platônicos agora. Jornal de relações sociais e pessoais, 17, 451-466?.

3 Rodriguez, LM, Øverup, CS, Wickham, RE, Joelho, CR, e Amspoker, AB (2016). A comunicação com ex-parceiros românticos e resultados do atual relacionamento entre os estudantes universitários. Relações pessoais, 23, 409-424.

4 Sbarra, DA, & Emery RE (2005). O sequelas emocionais da não relação marital relação . Análise de mudança e variabilidade intra-individual ao longo do tempo relações pessoais, 12, 213-232..

5 Spielmann, SS, Joel, S., MacDonald, G., & Kogan, A. (2012). Ex apelo: atual qualidade do relacionamento e emocional anexo . A ex-parceiros Psychological Social e Personalidade Ciência 4 (2), 175-180.

6 Bowe G. (2010). O romance de leitura: O impacto que o Facebook pode ter em um relacionamento romântico. Journal of Research comparativo em Antropologia e Sociologia, 1, 61-77..

 

COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS