5 pontuações de Adélia Prado acerca da crise no Brasil: “Ninguém assume os seus erros”

A escritora Adélia Prado concedeu uma entrevista ao programa Roda Viva, na TV Cultura. Onde falou sobre os seus sentimentos em relação ao que acontece no Brasil da atualidade. Confira abaixo alguns trechos de seu desabafo. No link da fonte se você desejar pode assistir a entrevista na íntegra.

Da democracia

“Nós estamos vivendo um tempo muito cinzento, muito triste. Não me sinto num país democrático, não. Por causa dos desmandos dos políticos, né?  Os partidos da oposição falam que a presidente teria dito: “Se vocês não votar a favor eu vou tirar os cargos os cargos de vocês”.  Diretor e professores passando pito em ‘menino’. Que qualidade é essa do nosso Parlamento, do nosso Congresso?  Essa briga por poder de troca de favor: “Se você não fizer isso eu vou mostrar aquele dossiê, hein? Cuidado”. Adélia Prado

Da troca de favores

“Tem um negócio aqui de votar ‘só se você me der o cargo que eu estou querendo’. É uma troca de favores em todas as instâncias”. Adélia Prado

De assumir os erros

“Nos tempos das Diretas Já, os artistas de esquerda, os intelectuais, saiam às ruas e falavam. O Brasil tinha uma pulsação cívica. Pessoas que faziam o panegírico. Hoje ninguém fala: Ó, gente, eu errei, eu estava entusiasmado, mas agora estou decepcionado. Eu não vejo ninguém falar isso. Me dá a maior aflição. Estamos sem liderança. Não temos pessoas que significam para nós.  Qual a pessoa que está aglutinando a esperança e o desespero das pessoas?”. Adélia Prado

Da disseminação do mal

“Eu estou muito impressionada com o Brasil. Eu acho que é aquilo que Boudrellard (Jean) falou no livro A Transparência do Mal. O mal está tão disseminado, tão enraizado, tão generalizado que está transparente. Você não vê mais aquele que é ruim ou é bom. Os Poderes da República estão envenenados. Uma comida ruim. “Ah, agora o Ministério Público vai… que maravilha, são os nossos herois do momento.  A gente fica naquela emoção. Depois: “ Não, nós vamos cortar o poder de vocês”.  Até o Supremo, né gente? Vamos combinar.  Não é verdade?”. Adélia Prado

Da falta de liderança

“Estamos sem liderança, sem rumo. A prefeitura da minha cidade, (Divinópolis-MG) está em decadência. As prefeituras estão em decadência. Parece que perdemos a carne, a envergadura; tudo uma geleia. E não é uma geleia gostosa, não. Não sei se é só eu que estou sentindo isso, mas eu estou vendo uma tristeza… A quem nós vamos recorrer? Miserere!  A quem recorrer?”.  Adélia Prado

Das prioridades

“Ai, que vontade de ouvir uma liderança dizer: Nós temos prioridade: O Brasil!”.  Adélia Prado

 

 

FONTERoda de Entrevista
COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS