Para curar as fadigas do coração: “Musicopoesia”

Para as fadigas do coração, musicopoesia: pelo menos uma vez por semana 

A influência da música no ser humano vai muito além do lazer de escutar um disco ou ensinar como um processo pedagógico, podendo servir até mesmo para fins terapêuticos. É o caso da Musicoterapia. Essa ciência utiliza a música e seus elementos sonoros como terapia para a obtenção de uma potencialidade do indivíduo, resultando numa melhor qualidade de vida, seja ela feita por prevenção, reabilitação ou tratamento. A música é conhecida como meio terapêutico desde a Antiguidade. Papiros egípcios datados aproximadamente  1550 a.C. atribuíam à música influência terapêutica. Durante a Segunda Guerra Mundial houve um início efetivo da utilização científica da música, dando origem à Musicoterapia.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os cuidados paliativos são uma abordagem que melhora a qualidade de vida do indivíduo e de sua família em caso de doenças que ameacem a continuidade da vida. Eles incluem a avaliação e o controle de forma impecável não somente da dor, mas de todos os sintomas de natureza física, social, emocional e espiritual. Nós recomendamos: musicopoesia pelo menos uma vez por semana.

Ouça a música enquanto lê os poemas

A Música – Charles Baudelaire

“A música p’ra mim tem seduções de oceano!

quantas vezes procuro navegar,

cobre um dorso brumoso, a vela a todo o pano,

minha pálida estrela a demandar!

O peito saliente, os pulmões distendidos

como o rijo velame d’um navio, Intento desvendar os reinos escondidos

sob o manto da noite escuro e frio;

sinto vibrar em mim todas as comoções

d’um navio que sulca o vasto mar;

chuvas temporais, ciclones, convulsões

conseguem a minh’alma acalentar.

Mas quando reina a paz, quando a bonança impera,

que desespero horrível me exaspera!”

Divina Música – Khalil Gibran

“Filha da Alma e do Amor.

Cálice da amargura e do Amor.

Sonho do coração humano, fruto da tristeza.

Flor da alegria, fragrância e desabrochar dos sentimentos.

Linguagem dos amantes, confidenciadora de segredos.

Mãe das lágrimas do amor oculto.

Inspiradora de poetas, de compositores

e dos grandes realizadores.

Unidade de pensamento dentro dos fragmentos das palavras.

Criadora do amor que se origina da beleza.

Vinho do coração que exulta num mundo de sonhos.

Encorajadora dos guerreiros, fortalecedora das almas.

Oceano de perdão e mar de ternura.

Ó música. Em tuas profundezas depositamos nossos corações e almas.

Tu nos ensinaste a ver com os ouvidos e a ouvir com os corações”.

Música – Hermann Hesse 

“O simples fato da música existir

e de poder um ser humano ficar,

por vezes, comovido até o âmago por uns poucos compassos

e inundado por harmonias,

sempre significou para mim um profundo consolo

e uma justificação de vida”.

Música – Roseana Murray

“A noite, com sua partitura de mistérios faz música.

Fecho os olhos e ouço o som do universo como

se fosse um zumbido de anseios e luz.

Caminho sobre a linha invisível dos desejos”.

Música – Clarice Lispector

“Entre duas notas de música existe uma nota,

entre dois fatos existe um fato,

entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço,

existe um sentir que é entre o sentir

nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério

e fogo que é a respiração do mundo,

e a respiração contínua do mundo

é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio”.

Seleção de Mariza Rezende – Especial para o Portal Raízes

TEXTO DEMariza Rezende
COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS