pessoa não pede desculpas

Por que algumas pessoas nunca pedem desculpas?

Portal Raízes

Dizer “me desculpe” é dizer que fiz algo de errado. Para algumas pessoas, admitir que elas fizeram algo errado não é possível, mesmo quando eles sabem que estavam erradas, e mesmo quando elas se sentem mal por fazê-lo. É estranho testemunhar, mas essas pessoas que nunca se desculpam podem realmente se sentir culpado e ainda se recusar a pronunciar as palavras que nos faria reconhecer seu remorso e corrigir o erro.

Ser capaz de admitir que fizemos algo errado exige um certo nível de auto-estima ou força do ego. As pessoas que estão profundamente inseguras podem achar difícil dizer “me desculpe”, em parte, porque um único erro tem o poder de aniquilar a auto-estima. A ideia de que eles poderiam cometer um erro e ainda ser uma pessoa valiosa e boa é impensável para alguém cuja auto estima está gravemente ausente.

Uma desculpa é uma admissão de falibilidade, que pode desencadear o vasto reservatório de inadequação e vergonha que eles carregam e, portanto, ameaçam a frágil narrativa que eles construíram sobre si mesmos. Para uma pessoa com uma sensação de auto-estima danificada, reconhecer o erro pode ser equivalente à aniquilação.

E, também, tem a pessoa que foi culpada implacavelmente quando uma criança, que desde uma idade jovem foi informada de que eram responsáveis por todos os problemas que surgiram e punidos em conformidade. Como adultos, essas pessoas tendem a seguir uma, de duas direções: ou se desculpam por tudo, mesmo com coisas que não fizeram, ou se recusam a se desculpar por qualquer coisa, mesmo que tenham feito.

Para aqueles que acabam com o último, eles decidem, conscientemente ou inconscientemente, que nunca mais aceitarão culpa de qualquer tipo. Eles fecharam a porta para qualquer coisa que contenha um cheiro disso. Para esse tipo de pessoa, dizer “me desculpe”, coloca-os em contato com os sentimentos ligados à sua experiência inicial de ser considerados incontáveis, culpados e ruins. Tendo sido injustamente e indiscriminadamente responsável por tudo errado, simplesmente não há espaço psíquico para a responsabilidade, mesmo que seja apropriado.

E então há aqueles que se recusam a pedir desculpas, porque eles não têm empatia e realmente não sentem pena de quem tem sofrido as suas ações. Eles acreditam que uma desculpa é apropriada apenas para situações em que eles causaram danos. Não há desculpas, nem são indicadas, quando a dor que você sentiu não foi intencionalmente causada e, portanto, não é culpa técnica. Sua mágoa, em si mesma, não tem valor particular.

Há muitas outras razões pelas quais algumas pessoas não podem ou não oferecerão essas duas palavras a outro ser humano. Podermos dizer que nos sentimos muito, é poder ser vulnerável, o que é muito assustador, triste, perigoso ou qualquer um de um número infinito de outros motivos para algumas pessoas.

Pedir desculpas é reconhecer que me preocupo com o que sente, que eu me importo com a sua ferida. Eu me importo o suficiente com você, de fato, para estar disposto a colocar meu ego de lado, parar de defender minha versão de mim mesmo por tempo suficiente para ouvir sua experiência neste momento. Eu me importo com você para estar disposto a admitir que eu sou imperfeito.

Receber uma sincera desculpas é um presente incrível. Nos sentimos ouvidos e reconhecidos, compreendidos e de valor. Quase qualquer dano pode ser corrigido com um genuíno e sincero “sinto muito”. Quando outra pessoa nos olha nos olhos e nos diz que eles estão arrependidos por algo que eles fizeram que nos causou danos, nos sentimos amados e valorizados; nós sentimos que nós importamos.

Quando alguém se desculpa para nós, também nos sentimos validados e justificados por estarem chateados. Quem pede desculpas está assumindo a responsabilidade em algum nível pelo resultado de suas ações, destinadas ou não. E quando isso acontece, nossos interiores relaxam; não precisamos lutar mais para provar que a nossa experiência é válida, que temos direito a nossa dor e que isso importa.

Diga para essa pessoa que você precisa que ela reconheça a necessidade do pedido de desculpas, essa experiência pode ser profundamente libertadora e curativa para ambos. Explique que mesmo não tendo sido intencional, a atitude dela te magoou.

Quando ferido por outro, nossos corpos precisam de uma pedido de desculpas para relaxar, avançar e soltar a dor. Mas às vezes, quando não conseguimos o “me desculpe” que pensamos que precisamos, devemos aprender a relaxar sozinhos, sem a ajuda do outro. Confiar e saber que nossa dor é merecedora de bondade – porque é – e que nossa verdade é justificada e válida – porque é nossa verdade – é o início de nosso processo de cura independente.

Considere o valor profundo de um simples e sincero “me desculpe”. Quando você tem a sorte de receber uma desculpa genuína, tome-a, sinta a majestade do que essa outra pessoa está oferecendo, receba sua vontade de ser vulnerável e responsável, cuidar de você em vez de seu próprio ego. Isso é grande. Assim, também, quando você reconhece uma oportunidade de dizer “me desculpe” e realmente sentir isso, aproveite a oportunidade de dar essa experiência a outra pessoa. Quando puder, honre a profundidade do presente que você está dando. “Me desculpe” e “obrigado” são realmente dois lados da mesma moeda.

Texto de Psychology Today, tradução e adaptação Portal Raízes.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes

Portal Raízes Jornalismo Cultural


COMENTÁRIOS