Essa foto é sua? Por favor entre em contato.

Pessoas impulsivas são menos egoístas e mais responsáveis na relação, diz estudo

Portal Raízes

A crença comum é que uma relação sustentável requer que ambas as partes sejam dedicadas uma à outra e dispostas a se sacrificar uma pela outra; o que normalmente significa ter um forte nível de autocontrole para tomar decisões racionais que levem em conta suas necessidades. Impulsividade, muitos acreditam, faz de você um parceiro mais egoísta e indiferente, e é uma característica ruim para alguém ter em um relacionamento. No entanto, um estudo recente descobriu que esta crença comum pode estar errada.

Pesquisadores da Universidade Livre de Amsterdã (Vrije Universiteit Amsterdam) e da Universidade de Londres (University of London), publicaram seus estudos na Psychological Science, uma revista da Associação de Ciências Psicológicas (Association of Psychological Science) e demonstraram que as pessoas com baixo autocontrole eram mais propensas a assumir mais responsabilidade no relacionamento do que pessoas com alto autocontrole.

Os estudos mostraram que as pessoas impulsivas têm algumas características em comum, tais como:

1 – Elas estão dispostas a assumir maior responsabilidade

Os resultados do estudo sugerem que, contrariamente ao entendimento anterior de como a impulsividade afeta o comportamento de alguém, um instinto para ajudar os outros pode ser a nossa resposta natural às dificuldades e desafios ao longo da vida.

O estudo pediu que os casais se preparassem para responder a perguntas desconcertantes sobre si mesmos a 12 estranhos, e tiveram que decidir entre si quantas perguntas cada membro responderia. Notou-se que o par com maior autocontrole era mais propenso a dividir entre ambos as perguntas mais embaraçosas.

No entanto, os participantes mais impulsivos estavam mais dispostos a assumir maior quantidade das questões embaraçosas e conversas, salvando seus parceiros das conversas.

2 – Seu instinto é pensar primeiro em seus parceiros

O estudo mostrou que os participantes que tinham maior autocontrole provavelmente levariam mais tempo para pensar o impacto de suas ações, incluindo o impacto negativo que isso teria sobre eles, e pesar isso contra o impacto que teria sobre o seu parceiro, enquanto as pessoas impulsivas eram aparentemente mais propensas a assumir a tarefa de aliviar seu parceiro de um fardo.

Isso sugere que nosso instinto é cuidar de nossos parceiros, enquanto a lógica – que nos diz que nos importamos com nós mesmos – nos fará dar um passo atrás e temperar o que estamos dispostos a fazer pelos outros.

Este é um instinto saudável para as pessoas em um relacionamento. A necessidade de equilibrar seus próprios interesses sobre os outros pode impedi-lo, em alguns casos, de estar disposto a oferecer algo a seu parceiro quando ele mais precisar. Ao identificar e incentivar o desejo de ajudar o seu parceiro em primeiro lugar, você se torna um parceiro mais atencioso.

3 – Eles esperam que seus parceiros sejam recíprocos

Por outro lado, esses mesmos cientistas descobriram que as pessoas em relacionamentos que tinham mais impulsividade e exibiam mais vontade de assumir uma maior parcela do fardo do que seu parceiro, também eram mais propensas a manter padrões mais elevados e sentir mais ressentimento se seu parceiro não fosse além de suas forças por eles.

Os cientistas sugeriram que isso pode ser um resultado da pessoa impulsiva não ser capaz de ver mais do que a ação atual de um parceiro para julgar a relação como um todo e, portanto, é mais provável realizar um evento individual ou comportamento contra seu parceiro, sugerindo que eles têm mais dificuldade em pensar no panorama geral do que pessoas menos impulsivas.

4 – Eles têm que ter cuidado pra não deixar o ressentimento acumular

Os cientistas apontaram que o comportamento altruísta poderia ser uma desvantagem durante um longo período de tempo, particularmente se um parceiro está fazendo sacrifícios múltiplos.

Além disso, guardar um rancor sobre um incidente em particular, em vez de ver o relacionamento inteiro também poderia azedar um parceiro dedicado. A pesquisadora principal Francesca Righetti disse que esse problema é um delicado equilíbrio entre todos os casais, mas esse traço específico pode identificar casais que lutam mais com ele.

Impulsividade parece ter alguns benefícios e algumas desvantagens; Pessoas com parceiros impulsivos devem tomar nota de garantir que ambos os membros da relação estão fazendo sacrifícios, não apenas metade, enquanto os parceiros impulsivos devem ter cuidado para avaliar o comportamento do seu parceiro em geral, e não através da lente de eventos específicos.

Promover o seu relacionamento, incentivando o desejo de priorizar o seu parceiro sobre si mesmo, tal estratégia deve ser empregada uniformemente por ambos os parceiros. Se o seu parceiro não está disposto a sacrificar tanto por você como você é para ele, você pode estar sendo aproveitado sobre isso.

Texto de  publicado originalmente em Life Hack, tradução e livre adaptação de Portal Raízes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes

Portal Raízes Jornalismo Cultural


COMENTÁRIOS