Síndrome do Prefácio: quando não se consegue viver o agora, está sempre esperando o depois

O mestre Rubem Alves escreveu: “A gente fica esperando que a alegria haverá de chegar depois da formatura, do casamento, do nascimento, da viagem, da promoção, da loteria, da eleição, da casa nova, da separação, da morte do marido, da morte da mulher, da aposentadoria… E ela não chega porque a alegria não mora no futuro, mas só no agora”.

Não conseguir viver o agora por estar sempre esperando o amanhã é uma síndrome. A do Prefácio.

A Síndrome do Prefácio é uma das mais perigosas. Isso porque, na maioria das vezes os sintomas, apesar de serem muito conhecidos, acabam passando despercebidos por quem está com ela.

As pessoas que possuem tal transtorno acreditam que só alcançarão a felicidade em um momento distante. Por exemplo, quando crescerem, se tornarem maiores de idade, quando se formarem na faculdade, quando finalmente passarem no vestibular, quando arrumarem o trabalho dos sonhos, quando casarem, quando saírem da casa dos pais, quando comprarem uma casa maior, um carro melhor, quando surgir aquela oportunidade de promoção no emprego, quando se mudarem, e por aí vai. A felicidade para eles, nunca está no momento presente e sim no futuro. Nunca no aqui, nunca no agora.

A Síndrome do Prefácio acomete os indivíduos de maneira totalmente inconsciente e acaba dando a ideia de que a sua vida ainda não começou, vai começar quando algo que você espera muito acontecer.

Isso significa dizer que tudo o que você passou até o presente momento foi apenas um simples prefácio do longo caminho que você ainda tem a percorrer até alcançar a sonhada felicidade.

Dessa maneira, as decisões consideradas mais importantes são deixadas para depois, as relações afetivas que representam mais para você acabam sendo subestimadas e os melhores acontecimentos e feitos são menosprezados.

Quem nunca pensou: “Ah, esse trabalho é apenas temporário”, “Esse relacionamento é um simples passatempo” e “Essa amizade não é para sempre”. O grande problema da Síndrome do Prefácio é que os indivíduos portadores não conseguem provar e aproveitar o aqui e o agora de maneira completa. Diariamente, eles vivem frustrados, sempre esperando o dia do sucesso e claro, observando que a grama do vizinho é sempre mais bonita e mais verde.

E é por isso que vemos as pessoas afobadas, com pressa para chegar logo ao seu destino final. Essa pressa pode até ser por motivos bobos, como pegar uma mesa no bar, para chegar logo na praia, para chegar rapidamente em casa, etc.

Estamos sempre de olho em algo melhor, almejando algo que não estão dentro das nossas possibilidades. Se estou na arquibancada, desejo estar na área VIP. Se estou na cidade, desejo ir para a praia.

No fundo tudo isso é uma grande bobagem. É aquela velha história de como você enxerga o como, meio vazio ou meio cheio. O nosso imaginário acaba sempre sendo melhor do que a realidade.

Ao meu ver, não existe nada que desabone o almejar algo a mais. O que realmente é preocupante é o que as pessoas fazem para alcançar os seus desejos, os seus sonhos. Vale realmente a pena passar por cima de seus princípios, do seu caráter, para chegar ao sucesso?

Uma dica é curtir o momento. O melhor lugar do mundo é onde estamos e o melhor instante é o que estamos vivendo. Aproveite ao máximo as oportunidades que a vida te dá. Carpe diem!

TEXTO DEFlávia Faria
FONTEVia
COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS