ansiedade e depressão

7 maneiras naturais de tratar a depressão e ansiedade

Portal Raízes

Depressão e ansiedade existem em um espectro, mas o que fazemos quando começa a acontecer com muita frequência e não vai embora? A medicação pode ser uma opção útil para muitas pessoas, mas também há muitas maneiras de melhorar a depressão e a ansiedade sem usar medicação.

Se você estiver tomando medicação, é fundamental que você não se retire disso sem a orientação ou supervisão do seu médico.

As estratégias que funcionam melhor, ou a combinação que funciona melhor, serão diferentes para todos. Aqui estão alguns que foram comprovados por pesquisas para ter a capacidade de aliviar a depressão e a ansiedade, mas será importante ser paciente, consistente e gentil com você mesma ao longo do caminho.

1. Diário – se escreva pra fora

Você não precisa ser boa em escrever para iniciar um registro no diário. Ninguém tem que lê-lo. É um espaço para expressar como você se sente no momento. Pode ser sua maneira de entender seus pensamentos e sentimentos. Depois de colocar todos os pensamentos que causem caos dentro de sua cabeça no papel, seu pensamento ficará mais claro, dando-lhe uma chance de fazer planos para fazer algo sobre isso.

Há evidências crescentes para apoiar a noção de que escrever no diário tem um impacto positivo no bem-estar físico. A escrita engaja e ocupa o lado esquerdo do seu cérebro, deixando o lado direito livre para criar e sentir. O diário é uma ótima ferramenta para remover seus blocos mentais, para que você possa usar toda a sua força intelectual para entender melhor a si mesma e ao mundo ao seu redor.

2. Auto-conversa – “Espelho, espelho na parede”

Falar com um amigo é algo que todos devemos fazer quando nos sentimos deprimidos e ansiosos, mas a pessoa que pode te entender é você. Tente chegar na frente de um espelho e ter uma conversa profunda com você mesmo, através de seus pensamentos. Dê algum incentivo, pare de se culpar por estar deprimido e até mesmo falar em voz alta, dizendo a si mesmo o quão incrível e valiosa você realmente é. Os resultados do estudo, nos quais os participantes praticavam auto-conversa motivacional, mostraram que ela pode aumentar a autoconfiança e reduzir a ansiedade cognitiva.

3. Pensamentos irracionais – não acredite em tudo o que você pensa

Sentir auto-compaixão e o amor próprio podem ser complicados quando se sente ansioso ou deprimido. Há certos pensamentos que podem chegar entre você e seu sentimento de auto-estima, auto-crença ou o futuro que está na sua frente. Ver apenas o pior resultado possível em tudo é um exemplo de pensamento problemático. É importante identificar esses pensamentos irracionais e minimizar o seu significado, uma vez que eles são apenas produtos de seu sofrimento emocional atual. As crenças irracionais demonstraram estar relacionadas a uma variedade de distúrbios, como depressão e ansiedade.

4. Auto-ajuda – inspire-se a encontrar uma solução

Os livros de auto-ajuda para distúrbios psicológicos, particularmente, tornaram-se cada vez mais populares. O que a ciência tem a dizer sobre os livros de auto-ajuda, a sua utilidade geral e a medida em que oferece orientações específicas para a implementação das técnicas de auto-ajuda? Os livros mais bem classificados tendem a ser aqueles que têm uma perspectiva cognitiva-comportamental, aqueles escritos por profissionais de saúde mental, aqueles escritos por autores detentores de doutorado e aqueles que se concentram em problemas específicos.

5. Faça exercícios e coma saudável

Os hábitos de vida saudáveis são uma arma inevitável de qualquer “luta” contra a depressão ou a ansiedade. Embora o exercício requer motivação, isso pode ser difícil de encontrar quando se sente ansioso ou deprimido, uma vez que você se sente motivado, o exercício pode fazer uma grande diferença.

O exercício regular ajuda a aliviar a depressão de várias maneiras, o que pode incluir: liberar substâncias químicas cerebrais de bem-estar, que podem aliviar a depressão, reduzindo os produtos químicos do sistema imunológico que podem piorar a depressão e aumentar a temperatura corporal, o que pode ter efeitos calmantes.

Quando se trata de hábitos alimentares, é importante consumir apenas quantidades moderadas de açúcar e alimentos com adição de açúcar, limitar a ingestão de cafeína e comer refeições e lanches regulares ao longo do dia. Uma dieta equilibrada deve dar-lhe todos os nutrientes que seu corpo precisa, mas alguns suplementos contendo vitaminas particulares podem ser úteis quando se combate a depressão.

6. Explore a psicoterapia

Se a depressão ou a ansiedade estão passando no seu cotidiano, pode ser hora de considerar a psicoterapia. Ansiedade e depressão são tratáveis, e a maioria das pessoas pode ser ajudada com cuidados profissionais. Cada pessoa é diferente e o tratamento deve ser adaptado especificamente para cada indivíduo.

A terapia cognitiva-comportamental é principalmente usada para tratar a depressão. Na terapia CBT, o paciente está ativamente envolvido em sua própria recuperação, tem um senso de controle e aprende habilidades que são úteis ao longo da vida. Explore diferentes possibilidades que a psicoterapia tem para oferecer para encontrar aquele que lhe oferece mais benefícios.

7. Terapia musical

Depois de reconhecer o poder da música, os profissionais começaram a usá-la enquanto trabalhavam com pessoas em sua saúde mental. Eles poderiam realmente ter sucesso no tratamento da depressão ou da ansiedade com a música? Existem evidências científicas de que o grupo de terapia musical apresentava sintomas menos depressivos do que o grupo de psicoterapia.

O estudo apontou que a depressão é causada por níveis mais baixos de dopamina e um menor número de receptores de dopamina no cérebro. Uma vez que a música ajuda a estimular as áreas do cérebro ligadas a se sentir recompensadas, ela pode proporcionar um intenso prazer nessa área. Isso aumenta o efeito positivo que ajuda a reduzir a depressão.

Ao passar pela depressão ou ansiedade, é importante estar ciente de que há muitas opções úteis para você, como auto-conversa positiva, reavaliando seus pensamentos, exercitando e comendo saudável. Você também pode explorar material de auto-ajuda disponível ou começar com psicoterapia ou terapia musical.

Texto de Marcus Clark, mestre em psicologia da saúde, publicado em Hey Sigmund, traduzido por Portal Raízes.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes

Portal Raízes Jornalismo Cultural


COMENTÁRIOS