Isto é para quando você se sentir um estranho no próprio ninho

Muitas vezes insistimos em ficarmos em um lugar no qual pensamos estar protegidos e o pior acontece para nos fazer sofrer. Temos a capacidade de perceber que estamos no lugar errado, que o canto que queremos simplesmente deixou de ser ou nunca foi aquilo que idealizamos. Mas mantemos vivas as esperanças de que as coisas ainda serão como desejamos. Ironicamente, na maioria das vezes, nada acontece para que a situação mude.

A verdade é que, na maioria das vezes, sentimos medo de que as mudanças nos impeçam de começar de novo. Somos levados aceitar que a situação é insustentável e que a ideia de mudar de ambiente, de rota, de trabalho, de sentimentos pede uma atitude. A vida é uma constante mudança e enquanto resistimos a elas, o que podemos fazer é limitar as possibilidades de sermos felizes.

Nada ocorre por acaso. Se sentirmos que nosso canto nos aprisiona ou se nosso coração deseja sair voando a um lugar diferente é simplesmente porque estamos fazendo uso de nossa intuição. Essa ferramenta tão sublime indica para onde podemos ir. Entretanto, muito pouco a escutamos.  Se, ao contrário, a desenvolvermos com os cuidados necessários podemos fazer de nossa vida a mais completa possível.

Saber ouvir nossa intuição com essas mensagens da alma que sussurram em nosso ouvido não é uma tarefa simples. Somente os ouvidos receptivos conseguem ouvi-la no sossego da alma. Temos que manter nossa mente muito calma, sem preocupações, ansiedades ou medos para nos conectarmos com essa energia capaz de guiar nossos passos para sairmos de um lugar inadequado ao nosso propósito de vida.

Os lugares aos quais devemos nos manter não são apenas lugares físicos, também são cantinhos emocionais aos quais nos acorrentamos de forma intensa sem percebermos o mal que nos causam. Por isso desejamos viver o presente  desejando inverter essa energia em outras coisas e situações em que nos permitam ver formas diferentes de vida. O bater de um coração ávido por um lugar confortável e um sentir diferente que nos deem a possibilidade de nos conhecer melhor e crescer, é o sinal como se fosse um código enviado pela intuição.

Todos sabem o que nos faz bem. Todos sabem que perdemos muito tempo com coisas insuficientes para nós. Quando já não há muito a fazer, quando devemos partir. Mas na maioria das vezes não sabemos como voar. Devemos deixar para trás os medos. Esta vida é muito curta para desperdiçá-la com apostas no que sabemos que são causas perdidas, sofrimentos inúteis e limitações de toda natureza. Aí devemos tomar as rédeas de nossa vida e responsavelmente correr atrás dos nossos sonhos.

Então, voe. Voa alto para lugares em que seus sentimentos se sintam seguros.

Tradução livre. Via

 

COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS