A ciência explica a homossexualidade entre os animais

Portal Raízes

O comportamento homossexual entre os animais existe há milhares de anos, mas pouco ainda se sabe sobre isso – principalmente por repressões sociais dos homens, que não consideram a prática como sendo natural ao seres vivos.

Recentemente, esse tipo de interação animal está sendo cada vez mais estudada. Alguns cientistas chegam a dizer que o comportamento homossexual existe em todas as espécies de seres vivos do reino animal.

O primeiro livro que trouxe o assunto para o centro das discussões foi Biological Exuberance, de Bruce Bagemihl, publicado em 1999. O texto citava inúmeros exemplos de relações homossexuais em uma grande variedade de espécies, que logo viraram objeto de estudo sistemático por parte dos cientistas.

Entre os animais, objetos de estudo do psicólogo Paul Vasey, da Universidade de Lethbridge, no Canadá, estão as fêmeas de macaco-japonês

Durante a temporada de acasalamento de inverno, a competição por uma fêmea é acirrada. Os machos não têm de disputar apenas com outros machos, mas também com outras fêmeas. As duas se olham nos olhos durante a relação e tendem a permanecer semanas juntas, inclusive para dormir e se defender de possíveis rivais.

Entretanto, este comportamento não é para sempre, estas primatas, bem como outros animais, não são 100% homoafetivos, também escolhem parceiros de sexos opostos. Apenas duas espécies reconhecidamente exibem preferência pelo mesmo sexo pelo resto da vida, mesmo quando há parceiros suficientes de sexo oposto. Uma delas, claro, é a espécie humana. A outra é o carneiro domesticado.

Em rebanhos ovinos, até 8% dos machos preferem outros machos mesmo quando há fêmeas férteis no grupo. Em 1994, neurocientistas descobriram que esses machos tinham o cérebro ligeiramente diferente do resto, com um hipotálamo menor – a parte que controla a liberação de hormônios sexuais.

Isso endossaria o polêmico estudo do neurocientista Simon LeVay, que em 1991 descreveu uma diferença entre a estrutura cerebral de homens gays e dos heterossexuais.

Talvez nunca encontremos um animal selvagem que seja estritamente homossexual como muitos humanos. Mas podemos estar certos de que vamos descobrir cada vez mais animais que não se encaixam nas categorias tradicionais de orientação sexual.

Os animais usam o sexo para satisfazer todo tipo de necessidade, do simples prazer à afirmação social. E isso exige flexibilidade.

20 Animais que apresentam comportamentos homossexuais 

Engana-se quem pensa que a homoafetividade animal é um caráter apenas evolutivo: algumas espécies praticam a homossexualidade por lazer! Por isso, confira 20 animais que apresentam características homoafetivas:

1. Girafa

Nove em cada dez casais de girafas são de indivíduos machos. Eles ficam roçando os pescoços até o momento em que um deles monta no outro e termina o ato sexual.

2. Galo-da-serra-do-pará

Esse pássaro é encontrado na região Norte do Brasil, principalmente nos estados do Amazonas, Roraima e Pará. Cerca de 40% dos machos se envolvem em atividades homossexuais ao ponto de sequer se interessar pelas fêmeas.

3. Leão

Estima-se que 8% dos machos dos leões apresentam comportamentos homossexuais. Algumas leoas também já desenvolveram esse comportamento em cativeiro, mas são principalmente os machos que o apresentam.

4. Besouro-da-farinha

O besouro-da-farinha é mais resistente que as baratas quando o assunto é radiação. Ele costuma ser encontrado em trigos e outros grãos e tem uma prática curiosa: os machos mantêm relações entre si para eliminar o sêmen envelhecido e guardar apenas os melhores genes para as fêmeas.

5. Pinguim

O comportamento homossexual dos pinguins é um dos mais bem estudados da natureza, tendo sido iniciado há mais de 1 século. Mesmo em cativeiro, os pinguins gays são bastante notados – tanto que, em 2004, dois machos chocaram um ovo e adotaram o filhote no Zoológico do Central Park, em Nova York.

6. Baleia-cinzenta

Machos de baleia-cinzenta, que chegam a medir 15 metros e pesar 36 toneladas, organizam verdadeiras orgias no fundo no mar: vários espécimes ficam nadando de barrigas coladas enquanto roçam os pênis.

7. Chimpanzé-pigmeu

Os chimpanzés-pigmeus, também chamado de bonobos, compartilham 98% do DNA humano – um dos parentes genéticos mais próximos que nós possuímos. Eles são conhecidos por serem animais extremamente sexuais, e quase todos eles são bissexuais. Além disso, eles usam o sexo para evitar conflitos e criar laços afetivos.

8. Pato-real

Estima-se que 19% dos machos de patos-reais apresentam comportamento sexual – um dos maiores índices entre as aves. Bem na verdade, os machos dessa espécie só ficam com as fêmeas até a hora de elas porem seus ovos.

9. Bisão-americano

O comportamento homossexual do bisão-americano, que habita as planícies da América do Norte, é superior ao comportamento heterossexual da espécie. Nas épocas de acasalamento, os machos costumam copular várias vezes ao dia com outros machos.

10. Golfinhos tursiops

O tursiops é um gênero de golfinhos que inclui as espécies golfinho-nariz-de-garrafa-indopacífico, golfinho-burrunan e golfinho-nariz-de-garrafa. Esses animais apresentam um grande comportamento homossexual, tanto que as fêmeas costumam colocar o seu bico nos órgãos genitais de outras fêmeas simulando uma penetração. Já os machos esfregam os pênis uns nos outros e, ocasionalmente, até praticam sexo anal.

11. Aranha

Agora uma história engraçadinha do mundo animal: cerca de 110 espécies de insetos e aracnídeos apresentam comportamento homossexual, mas, em muitos casos, é por acidente! As aranhas machos, principalmente, estão ali no rala e rola com outros machos até perceberem o erro e saírem de fininho em busca de uma fêmea.

12. Lagartos cnemidophorus

O gênero cnemidophorus de lagartos possui quase exclusivamente espécimes femininos; isso porque sua reprodução é assexuada, não necessitando de machos para a fertilização. Mesmo assim, as fêmeas simulam entre si os rituais de um ato de acasalamento tradicional, que provavelmente deve servir para aumentar os hormônios da ovulação.

13. Abutre-fouveiro

Em 1998, dois abutres-fouveiros machos do Zoológico Bíblico de Jerusalém começaram a se envolver sexualmente. Eles chegaram a construir um ninho e chocar um ovo artificial. Seus tratadores resolveram dar um filhotinho para eles cuidarem, o que foi feito com muito afeto. Porém, um deles acabou virando “ex-gay” e se interessando por uma fêmea, deixando o antigo amor em depressão!

14. Boto-cor-de-rosa

Um dos animais mais safadinhos da natureza, o boto-cor-de-rosa costuma se reunir em grupos de cinco amiguinhos para praticar uma orgia daquelas! Isso normalmente é organizado por jovens machos, mas fêmeas às vezes participam – mas só uma por grupo. Entre os fetiches, está a inclusão do bico no buraco de respiração do animal, no único exemplo conhecido de sexo nasal na natureza.

15. Ovelha

Cerca de 8% dos machos de ovelha são exclusivamente homossexuais – porcentagem bem parecida com a do ser humano. Além disso, estima-se que entre 18% e 22% desses animais apresentam comportamento bissexual. E, é claro, não são nada monogâmicos.

16. Macaco-japonês

As fêmeas dessa espécie costumam apresentar comportamentos sexuais entre si, criando ligações que duram semanas! Já os machos são menos afetuosos, se envolvendo com outros machos apenas pelo prazer sexual.

17. Hiena

A vagina das hienas muitas vezes se parece com um pênis, derivada de um alto nível de testosterona durante a gestação. Isso gera fêmeas mais agressivas, que acabam se envolvendo com outras fêmeas tal como os machos da espécie.

18. Cisne-negro

Cerca de 25% dos casais de cisnes-negros são formados por machos. Às vezes, eles roubam ninhos de casais heterossexuais, mas também é comum eles formarem trios com uma fêmea à espera de ela botar um ovo e depois a expulsarem da relação.

19. Morsa

Os machos mais velhos normalmente são bissexuais, acasalando com as fêmeas apenas durante os períodos de reprodução e ficando com outros machos no resto do ano. Eles até dormem abraçados e juntinhos na água!

20. Elefante

Tanto o elefante-africano quanto o elefante-asiático apresentam comportamentos homossexuais: eles se beijam, trançam as trombas e montam uns nos outros. Além disso, as relações gays dos elefantes costumam ser mais duradouras que as relações heterossexuais.

*Publicado em 05/07/2016

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Earth.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.