Cantor, depois de agredir a ex-mulher, publica que é um homem do bem

Portal Raízes

Nesta segunda(20), o vocalista de uma banda de forró, Francisco Luciano dos Santos foi flagrado por câmeras de segurança do condomínio onde mora, em Parnamirim, no Rio Grande do Norte, agredindo sua ex-esposa na presença de seu filho de 6 anos e sua atual companheira.

No vídeo, Luciano aparece gritando, dando empurrões e puxando os cabelos, enquanto força a ex-mulher a entrar no elevador. Tudo isso na frente do filho e de outra criança. “Não tinha como tirar ela alisando”, disse o músico.

A vítima denunciou o caso à Polícia Civil e prestou depoimento na manhã desta terça-feira (21) à delegada Renata Costa, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Parnamirim, região metropolitana da capital. A delegada vai pedir à Justiça medidas protetivas contra o homem.

Se dizendo arrependido, o cantor afirma que tudo começou quando foi questionado sobre o atraso de 15 dias da pensão do filho.

“Tinha realmente um dinheiro para ela receber, mas eu disse ‘Ana, pode ir que mais tarde eu resolvo’, porque eu tinha que sacar. Aí ela começou a dizer, ‘não vou porque o apartamento é meu também’”, declarou ao G1. Mas a doceira Ana Augusta conta que ele já saiu do quarto agredindo-a e empurrando-a para o elevador.

“Ele saiu de cueca e de camisa e já começou a me agredir. O pior de tudo foi meu filho presenciar. É muita coisa pra cabecinha dele”, declarou. “Ele me agrediu o casamento inteiro, inclusive na gravidez, mas eu era nova, tinha medo. Até que depois de cinco anos resolvi me separar”, disse a mulher, pelas redes sociais, a amigos.

O homem ainda publicou no perfil do Instagram da banda, a seguinte mensagem: “Gente estou bem graças a Deus quem me conhece sabe do meu coração, o pai o filho, amigo e profissional que eu sou o resto Deus e justiça resolvem”.

Lembrando que, a partir de um mês de atraso, o juiz já pode receber o pedido de prisão. Se efetivada, o tempo de reclusão é realizado em regime fechado. Isso não exime o devedor de pagar pensões atrasadas.

Outro ponto importante, agressões físicas contra a mulher também podem resultar em prisão. Segundo a Lei Maria da Penha, socos, tapas, empurrões e xingamentos, são passíveis de processo criminal. O Supremo Tribunal Federal diz que crimes de violência contra a mulher são considerados de maior potencial ofensivo e não podem ser substituídos por medidas alternativas.

“Eu passei tanto tempo calada. Agora eu quero justiça”.  Ana Augusta Josuá

Fontes: Hypeness e G1

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes
Portal Raízes Jornalismo Cultural

COMENTÁRIOS