Via Unsplash
Via Unsplash

Obrigado por me ensinar a não ter medo de sentir novamente

Coração de Elástico

Eu me lembro daquela noite, quando você disse: “Eu estou dentro, quer você acredite ou não”.

Eu nunca te disse isso, mas enquanto estava sentada em sua cama, quase um ano atrás, eu estava com medo, aterrorizada, na verdade. Eu estava apavorada por não conseguirmos fazer isso, que você não estava totalmente envolvido, que eu não poderia estar sempre com você.

Eu acho que você viu isso porque mesmo que você não tenha dito nada, você me pegou pelas mãos e me mostrou que de alguma forma, tudo ficaria bem porque era a nossa hora.

É irônico agora falar sobre “nosso tempo”, porque tenho certeza de que houve um período em que ambos pensamos que nada floresceria entre nós. Nós dois seríamos apenas um pontinho na linha do tempo um do outro. Eu ocasionalmente entrava em seu local de trabalho para tomar uma bebida e você zombaria de mim por perder a aposta de 20 pratas que fizemos quando nos conhecemos.

Eu estava bem em pensar que você seria só mais uma pessoa, porque era isso que sempre acontecia comigo. Eu era a garota que se divertia mais dando conselhos de relacionamento em vez de precisar para meus próprios problemas. Eu era o única que estava bem em viver indiretamente através de suas aventuras de namorado. Eu estava em um estado de espírito confortável e você deixou claro que, se o nosso relacionamento fosse funcionar, eu não poderia mais ser essa mesma pessoa.

É por isso que agradeço.

Agradeço-lhe porque mesmo com seus próprios problemas, que você estava tentando resolver, você abriu seu coração para cuidar de mim. Você me levou ao seu mundo porque viu o quão destrutiva eu realmente era, mesmo se eu me tornasse boa em encobrir todas as coisas ruins.

Você me mostrou que, com você, eu sempre teria um lugar para chamar de lar.

Eu agradeço porque você abraçou todos os lados de mim, bem e mal, todos os dias. Eu sei que há dias em que eu testo sua paciência e faço você querer arrancar seus cabelos, ainda assim, o que você faz? Você sempre me diz o quanto você gosta de mim e pergunta o que eu quero comer no jantar (sushi é sempre bom, lembre-se disso).

Eu agradeço porque você me mostrou como é amar-se de verdade. Você me ensinou a nunca pedir desculpas por ser eu e a viver e amar com a mesma coragem que eu queria, mesmo que houvesse pessoas que não gostassem disso.

Eu admiro o quão impiedoso você é diariamente porque você teve que aprender da maneira mais difícil que se alguém não gosta de você ou algo sobre você, há 100 outros por aí que irão.

Sempre que penso sobre nosso tempo juntos, chego à mesma conclusão: é ótimo aceitar o inexplicado e é ainda melhor não ter medo de sentir novamente.

Texto de Annegela Pacla– via Thought Catalog, traduzido por Coração de Elástico

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS