Minha alma não tem idade, tem gratidão por cada livramento que recebeu

Sil Guidorizzi

A maturidade me ensinou a trocar o sapato gasto; a deixar à vida em pratos mais limpos.

Me mostrou que não preciso viver atrás de ninguém, que não preciso de coisas que não são essenciais, e que, ter a minha própria companhia, é coração de quem já se adaptou ao que precisa, sem fazer drama, sem esperar nada de ninguém.

A maturidade fez o coração deixar de ser usado, manipulado; me fez crescer por dentro apesar dos remendos.

Nem tudo se salvou, nem tudo agradou; nem tudo foi amor.

A maturidade mostrou que aquele ‘pra sempre’ mudou o caminho, e que, já não é tão interessante viver à sombra de ninguém.

Palmas pra mim, que cortei tantos males pela raiz, que não tive medo de bater de frente com as controvérsias do tempo, que freei o sentimento destrutivo de gente sem respeito.

Me quebrei, me refiz, me perdoei.

A casa mais silenciosa, o saber de Deus, a cura emocional, a desistência do que não faz bem.

É maturidade, sim.

Valeu à pena crescer, valeu lutar pelo meu espaço, valeu cada aprendizado.

Minha alma não tem idade; tem a gratidão por cada livramento que recebeu; tem espaço pra ser.

Não sinto inveja, não tenho nada contra ninguém.

A única coisa que peço dentro de mim, é luz pra acender o espírito, perdão para minhas faltas.

A maturidade trouxe sequelas e descobrimentos.

É maturidade consciente, é maturidade de quem já tombou e levantou.

Mesmo assim, agradeço. Agradeço por tudo.

Assim seja, graças a Deus!

Texto de Sil Guidorizzi

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me á tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.