Morre ator Flávio Migliaccio, aos 85 anos, em sítio em Rio Bonito

Portal Raízes

Mais um dia em que o mundo artístico amanhece mais triste, na manhã desta segunda-feira (04), o ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio, que mantinha desde a década de 1970 na Serra do Sambê, em Rio Bonito. A informação foi confirmada pelo 35º Batalhão de Polícia Militar. O boletim de ocorrência foi registrado como suicídio, após encontrada uma carta no local, deixada para a família.

“Liguei para o Marcelo Migliaccio, filho de Flávio, que disse que recebeu uma ligação do caseiro dizendo que o Flavio tinha falecido. Ele está na estrada, à caminho do sítio, e ainda não sabe a causa da morte do pai”, disse o advogado do ator, Sylvio Guerra, à colunista Fabia Oliveira, de O Dia.

Nascido em 1934, em São Paulo, Flávio Migliaccio iniciou sua carreira na TV em 1972, como o Xerife, da série Shazan, Xerife e Cia, já na Rede Globo.

O último trabalho do artista na TV foi em 2019, em ‘Órfãos da Terra’, onde ele fazia o Mamede Aud. Muito conceituado no meio artístico, ao longo de sua carreira Fávio teve grandes destaque em novelas como ‘Rainha da Sucata’, ‘Perigosas Peruas’, ‘A Próxima Vítima’, ‘Senhora do Destino’ e ‘Passione’, entre muitos outros projetos.

Com informações de: Isto É, Correio, O Globo

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.