Mãe se distrai com o celular e filho morre afogado

Portal Raízes

Muitas são as reclamações dos pais para com os filhos, quando o assunto é uso excessivo do celular. Mas e quando a situação é inversa, pais que passam o tempo todo olhando no celular?

Todos nós já perdemos algum tempo olhando para a tela do celular, nos desconectando do mundo real. Mas, o que acontece com nossos filhos? Existem pais que são viciados no celular, que se fecham na sua bolha e se esquecem de que há vida por trás das telas. Sem dúvidas isso pode colocar em perigo a relação com as outras pessoas e também com os próprios filhos. Os pais, sem perceber, estão ignorando seus filhos. E o pior é que os pequenos podem se sentir trocados.

Mãe se distrai com o celular e filho morre afogado

A câmera de segurança de um resort em Xiangyang, uma cidade da China, mostra o momento angustiante em que um garoto se debate na água de uma piscina natural do hotel, enquanto sua mãe, de costas para ele, mexe em seu aparelho celular e não percebe o que está acontecendo. Ao perceber que seu filho havia sumido, a mulher procurou os funcionários do resort. A criança foi encontrada 30 minutos depois, já desacordada.

A polícia foi chamada ao local, chamado Spa World, e declararam a morte do menino ainda no resort. Informações divulgadas pelas autoridades revelaram o espaço em que a criança se afogou tem pouco mais de um metro de profundidade.

É importante se policiar e fazer este exercício de se libertar do vício do uso excessivo do celular, isto pelo menos durante o tempo que passar com a família. A proposta é que se deixe o celular em cima do armário, e a partir do instante em que se entrar em casa a dica é não atendê-lo a não ser que seja uma ligação telefônica ou para verificar se há alguma mensagem de WhatsApp ou outra de certa urgência quando estiver de passagem, e nunca enquanto estiver com com os seus filhos.

É importante não tirar o celular da bolsa no parque. E, é claro, não olhar o celular durante as refeições. Por isso por em prática não é uma tarefa tão difícil assim. Você é capaz de deixar o celular em casa para ir à praia, levar as crianças aos balanços do parquinho sem levar o Smartphone. É preciso vivenciar a maternidade e a paternidade. Não deixar que a tecnologia te trapaceie e você não acompanhe o desenvolvimento do seu filho.

“Se eu tivesse que te contar de qual invenção eu não gosto, diria que não gosto do celular. Eu não gosto do celular porque meus pais ficam no celular todos os dias. O celular às vezes é um hábito muito ruim. Eu odeio o celular da minha mãe e gostaria que ela nunca tivesse um. Essa é uma invenção de que eu não gosto”.

Jen Adans, 9 anos

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes
Portal Raízes Jornalismo Cultural

COMENTÁRIOS