Se em algum momento você teve que lutar contra a ansiedade, é provável que sua mente tenha sido bombardeada por uma série de pensamentos ansiosos que você não podia controlar. Esses pensamentos geram ainda mais ansiedade, geralmente porque amplificam as preocupações levando-as a limites catastróficos.

O problema é que, enquanto esses pensamentos ansiosos passam pela sua mente, você se sentirá sobrecarregado e confuso, de modo que não será capaz de pensar com clareza. É como se você vivesse em uma tempestade sem a possibilidade de vislumbrar quando a calma virá.

De fato, pessoas ansiosas são mais propensas a distorcer a realidade, em grande parte por causa desses pensamentos intrusivos. Esse mecanismo leva a um círculo vicioso porque você colocará em prática mecanismos de enfrentamento mal-adaptativos que geram mais problemas do que resolvem. Portanto, é importante ficar de olho nos pensamentos ansiosos que indicam que estamos superdimensionando o problema.

Os 10 pensamentos ansiosos que geram ainda mais ansiedade  

1 – Medo de estar errado 

Uma das famosas leis de Murphy diz: “tudo o que pode falhar irá falhar”. No entanto, viver a cada minuto do dia pensando que algo pode dar errado é simplesmente desgastante e estressante. Uma coisa é se preparar para reveses e outra coisa é imaginar o fracasso a cada passo que damos, porque isso se tornará uma profecia autorrealizável. A longo prazo, acabará gerando um nível de ansiedade que realmente afetará nosso desempenho.

2 – Medo de que algo ruim está prestes a acontecer. 

O medo nem sempre vem de nossas ações, também pode ser gerado a partir da imprevisibilidade das circunstâncias. Esse pensamento ansioso vai colocá-lo em constante tensão e fazer você pensar em todos os possíveis e até impossíveis perigos, incluindo aqueles aos quais as pessoas que você mais ama pode se expor. Isso fará com que você viva em um estado de ansiedade e expectativa constante, como se estivesse constantemente esperando que as próximas más notícias lhe fossem comunicadas.

3 – Esquecer algo importante. 

Um dos pensamentos ansiosos mais recorrentes é acreditar que você esqueceu algo importante. É o resultado de um processo de escrutínio constante, não apenas interno, mas também externo. Nos dias de tensão, você se pergunta mil vezes se fechou a geladeira, apagou a luz ou se trancou mesmo a porta. Por sua vez, isso desencadeará pensamentos catastróficos do tipo: “o que aconteceria se …?”. Às vezes, a tensão gerada por esses pensamentos ansiosos é tão grande que você não consegue controlar o impulso de verificar tudo várias vezes para se certificar de que não esqueceu algo importante.

4 – Medo de não conseguir controlar o que acontecerá no futuro. 

Ansiedade está indissociavelmente ligada à incerteza, por isso não é de estranhar que muitos dos pensamentos ansiosos giram sobre a incapacidade de controlar o que poderia acontecer nos próximos dias, semanas ou mesmo anos. A ansiedade sobre o futuro é simplesmente terrível porque, a menos que você aprenda a fluir com a vida, não pode fazer mais nada.

5 – Medo de que os entes queridos estão chateados com você. 

“Por que demoram tanto para responder à minha mensagem? Eles vão ficar com raiva de mim? Talvez eu tenha incomodado eles”. Esse é um dos pensamentos ansiosos mais comuns, intimamente ligado ao sentimento de culpa. A pessoa ansiosa muitas vezes se culpa em excesso, colocando toda a responsabilidade do mundo em seus ombros e frequentemente se preocupando com as consequências de suas ações, passando rapidamente do mundo real ao mundo fantasioso de consequências dramáticas que criou em sua mente.

6 – Medo do julgamento social. 

“Será que estão rindo de mim?” Muitas vezes, a pessoa ansiosa também sofre de ansiedade social, pode se sentir desconfortável em situações sociais em que eles podem se sentir valorizados ou julgados. Como resultado, a pessoa adota uma atitude hipervigilante e um pouco egocêntrica, tomando nota de tudo que os outros fazem de uma perspectiva autorreferente.

7 – Ficar preso. 

Um pensamento ansioso comum refere-se ao medo de ficar preso. Assim que a pessoa ansiosa põe o pé no elevador, ela imagina que poderia ficar presa. A mesma coisa acontece se você deve ir a uma reunião ou um compromisso, imediatamente acha que pode ficar preso no trânsito. Esse temor surge do medo de que algo o retenha e tire seu controle sobre o ambiente.

8 – Pensar que você pode ficar doente de um momento para o outro. 

Todos nós nos preocupamos em ficar doentes, mas pessoas ansiosas transformam uma dor de cabeça emocional em um tumor cerebral. Ansiedade e medo os levam a se preocupar excessivamente, então eles sempre imaginam os piores cenários possíveis.

9 – Luta contra o tempo. 

O tempo corre mais rápido quando nos sentimos ansiosos. Portanto, é normal que a ansiedade nos faça temer que não tenhamos tempo suficiente para enfrentar todas as tarefas que temos pela frente ou que chegaremos atrasados ​​para um compromisso importante. Essa sensação de lutar contra o tempo, que inevitavelmente escapa, gera ainda mais ansiedade e nos faz cometer erros que nos atrasam ainda mais.

10 – Sentir-se ansioso por estar ansioso. 

A maior ansiedade geralmente vem da ansiedade, dessa tendência a examinar constantemente o interior. Muitas pessoas se perguntam por que se sentem ansiosas se não têm razões aparentes para isso. A perspectiva de responder com ansiedade ou que possa surgir a qualquer momento gera ainda mais ansiedade, o que fecha um círculo vicioso.

Texto de Jennifer Delgado, via Rincón de la Psicología, traduzido por Portal Raízes.

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.