Como todos os comportamentos do ser humano, o sono precisa ser ensinado ou condicionado. Criar certos hábitos pode acostumar mal a criança ou aumentar sua dependência dos pais. Listamos os principais erros que os casais cometem quando o assunto é hora de dormir:

1. Não ter rotina

Criança gosta e precisa de repetição para se sentir segura. O ideal é que a hora de ir para a cama seja precedida pelas mesmas ações, todos os dias.

2. Atividades agitadas

O ideal é que essa rotina não inclua atividades que vão deixar o pequeno ainda mais desperto, como brincadeiras que envolvem movimentação física e programas de televisão que deixam a criança agitada ou com medo. Entre as atividades relaxantes, estão tomar banho e ler um livro.

3. Colo

Um dos erros mais comuns é ninar o filho e deixá-lo adormecer no colo dos pais. As crianças devem dormir diretamente onde vão acordar, porque ao despertarem na madrugada, há grande chance de estranharem o berço e chamarem a pessoa que as fez dormir no colo. O mais indicado é levar a criança ainda acordada para o cama/berço. Os pais deixam o quarto e, se ouvirem choro, voltam alguns minutos depois para que ela percebe que ninguém a abandonou. Aos poucos, o bebê se acalma e aprende a dormir sozinho.

4. Ninar pela casa

Nada de perambular com a criança pela casa no carrinho de bebê, colocar o bebê-conforto sobre a máquina de lavar ou passear de carro com o pretexto de fazer a criança dormir. Ela não precisa ser chacoalhada para pegar no sono. A dica é dar uma fraldinha ou um bichinho de pelúcia – antialérgico – ao seu filho, que ele se auto ninará.

5. Levar para dormir na cama dos pais

Se a criança acorda assustada ou chama pelos pais de madrugada, os adultos precisam dar atenção. Mas, no quarto dela. Isso porque ceder aos pedidos em um dia transmitirá a mensagem de que a criança pode insistir sempre. Se seu filho for direto para sua cama, você até pode deixá-lo ficar um pouquinho, mas leve-o de volta para o quarto dele quantas vezes forem necessárias. Compartilhar a cama com frequência atrapalha o sono da família, não incentiva a independência da criança e prejudica a intimidade do casal.

6. Luz acesa

É comum crianças terem medo do escuro, mas deixar a luz acesa altera a produção do hormônio melatonina, que induz o sono. Se seu filho estiver com medo, converse sobre os motivos da insegurança, explicando que não há razão para temer. Para acalmá-lo, deixe uma tomada de luz baixa, que ilumina o caminho, caso ele acorde de madrugada. Luz de cor azul tem efeito calmante. Para as crianças que não se importam, o melhor é apagar todas as luzes.

7. Deixar a TV ligada

Além de o som e a luz prejudicarem a qualidade do sono, ele precisa aprender a pegar no sono sozinho.

8. Dar comida de madrugada

Os médicos dizem que a alimentação durante a noite é uma das coisas que mais atrapalham o sono. Se a criança tem fome, os pais devem verificar se a alimentação no restante do dia ou na última mamada da noite está sendo suficiente.

9. Irritação

Nada de inventar situações negativas em relação ao sono, como bicho-papão. Ficar bravo ou irritado na hora de colocar os filhos para dormir também é ruim, pois eles começarão a associar esse momento a algo negativo.

10.Evitar as sonecas diurnas para melhorar o sono da noite

As sonecas diurnas são necessárias até certo período da vida criança. Normalmente, esse sono se divide em duas etapas: de manhã e depois do almoço quando a criança têm menos de 1 ano. À medida que seu filho cresce, a necessidade de dormir enquanto o sol está no céu diminui. Mas tente manter o hábito da soneca vespertina até os 4 anos de idade.

PS.: Como transformar a ‘pior’ hora do dia no momento mais esperado? (Nota da psicopedagoga do Portal Raízes)

“Afinal, o que são 6 anos gastos com mimos afetivos na hora de dormir, diante de todo o resto da vida de nossos filhos? Creia, não é enfado algum dedicar 15 minutos diários ao seu filho na hora de dormir em sua fase da primeira infância que é da gestação até os seis anos de idade, sabendo de antemão que isso lhe agregará valores por toda a sua existência. Eu mesma usei da ‘pedagogia do afeto/lúdico da fantasia’ com os meus filhos e o mesmo agora faço com o neto que veio morar conosco. O momento de dormir é sempre ‘aterrorizante’ para criança. É como dizer-lhe que a brincadeira acabou. Então dormir, para ela, é coisa má. Mas se você se dedicar – todas às noites – a deitar-se (ou sentar-se) na cama dela e contar-lhe uma história lida em livros escritos para crianças e/ou inventadas na hora, e depois cantar “as mesmas, 3 ou 4, canções”, – (há muitas canções de ninar com letras na internet) –  acredite que esse gesto repetitivo e chato para nós adultos, é a força toda poderosa que fará o seu filho (ou neto) pedir: ‘Mamãe, arruma a minha caminha e me conta uma história que está na sua cabeça?’. Meus filhos, já adultos, se lembram das histórias que inventamos juntos e das nossas canções favoritas da hora de dormir. Se recordam de que quando eu estava viajando, ligava para eles e cantava por telefone mesmo. Funcionou comigo. Pode funcionar com você também. Assim desejo. Abraço afetuoso”. Clara Dawn

 

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.