Riccardo Mion, Via Unsplash
Riccardo Mion, Via Unsplash

37 coisas que você faz por causa da depressão

Portal Raízes

A depressão afeta milhões de pessoas ao redor do mundo. Por isso, é extremamente importante manter a conversa aberta para estimular a compreensão e a empatia por aqueles que estão com dificuldades.

Nem sempre as pessoas percebem que algum parente ou amigo está com depressão. A lista abaixo vai te ajudar a perceber algumas atitudes que quem sofre com a doença faz, mas quem está de fora acaba não percebendo.

1. Fica cansado

As pessoas não entendem, mas a ansiedade e a depressão são exaustivas. Por isso pessoas com depressão sentem tanto sono.

2. Fica sem vontade de sair de casa

Ir para a cama cedo e sair da cama tarde também é uma característica que muita gente estranha.

3. Evita falar no telefone

É comum se sentir mais seguro enviando uma mensagem de texto. Pessoas com depressão podem se sentir sob pressão ao falar no telefone.

4. Sente dificuldade de lidar com pessoas

Algumas vezes é muito difícil socializar, até mesmo com as pessoas que ela tem mais intimidade.

5. Cancela planos sociais

Em algum momento, a pessoa até se anima com o convite, mas minutos antes desiste de ir.

6. Deixa de comer

A pessoa até fica com fome e sente o estômago roncar, mas fica sem forças de levantar e preparar algo para comer.

7. Usa celular para “entrar na bolha”

Ao invés de navegar nas redes sociais, a pessoa com depressão prefere navegar em lojas ou jogar algo.

8. Fica quieto em reuniões familiares

Algumas vezes, a pessoa prefere ficar em um canto sem conversar com as outras pessoas. E isso não é porque ela é antissociável!

9. Deixa de arrumar a casa

De novo por conta da energia, é difícil levantar da cama para os afazeres domésticos.

10. Odeia piadas que fazem sobre seu humor

Elas podem até rir da piadinha, mas estão extremamente chateadas por dentro.

11. Evita tirar férias

Prefere trabalhar do que socializar com a família ou os amigos e nem cogita viajar.

12. É negativo

Seja para encontrar um novo emprego, pra mudar de carreira. Essas pessoas tendem a achar que tudo vai dar errado.

13. Se coloca para baixo

Quando menos percebe, faz críticas a si mesmo e não se acha capaz de muitas coisas.

14. Se sente vazio

A falta de motivação machuca. Mas quando não é uma ferida aparente, muita gente ignora.

15. É grosso sem perceber

Pode apostar, não é por mal. Talvez essa seja uma forma da pessoa botar para fora seus sentimentos.

16. Se abala por tudo

Ela se ofende com qualquer coisa que outra pessoa fale.

17. Apesar de evitarem contato social, gostam que se preocupem com ela

Não custa nada enviar uma mensagem e perguntar como a pessoa está, mesmo que ela demore para responder.

18. Um abraço pode cair bem

Se você você for íntima de uma pessoa com depressão, espere a oportunidade certa para abraçá-la

19. Gosta do silêncio

Parece que o silêncio ajuda a recuperar o pouco de energia que ainda resta.

20. Deixa os exercícios de lado

Se não tem energia nem para ir até a cozinha, imagina ir para a academia.

21. Tenta se demonstrar forte

Seja pela obrigação do trabalho, ou para não “criar problema” para o outro, algumas pessoas com depressão estampam um sorrido forçado no rosto.

22. Acaba ficando mais ansioso

Uma pessoa que prefere se recolher, fica ansiosa se tem que falar em público, por exemplo.

23. Não tem prazer nas coisas que gostava de fazer

Gostava de cozinhar, gostava de ver série, gostava ir no restaurante favorito. As coisas mudam quando se tem depressão.

24. Tem noção do que está acontecendo

A pessoa sabe que ter uma casa limpa, procurar um emprego e ver gente vai motivá-la, mas ela não encontra forças.

25. Vive pedindo desculpas

Por se sentir inútil, antes mesmo de se expressar a pessoa já pede desculpas.

26. Não responde mensagens

Podem até pensar que ela está ignorando, mas na verdade ela está completamente desconectada do mundo social.

27. Se sente isolado

Mesmo com gente procurando, elas vão sempre se sentir isolada de tudo e todos.

28. Fica mais devagar

Demora para responder até perguntas simples.

29. Consumo excessivo de álcool

Algumas pessoas migram para as bebidas para tentar afogar as mágoas.

30. Se afasta de quem gosta

Chega a ser quase involuntário, mas a pessoa prefere ficar sozinha (e nessas horas os amigos de verdade devem se manter por perto).

31. Assume péssimos hábitos alimentares

Substitui um bom jantar por algo mais prático como pizza, salgadinhos e hambúrguer.

32. Fica no escuro

E há quem fale: “não é por acaso que você está deprimido”. Na verdade, o escuro também é uma fuga.

33. Sente vontade de gritar, mas guarda para si

Existe a vontade de colocar todas as angústias para fora, mas a pessoa sente dificuldade em se expressar.

34. Deixa de se cuidar

Já não se preocupa mais com o que veste, nem em cuidar dos cabelos e das unhas. Afinal, até tomar banho é uma tarefa difícil.

35. Se sente feia

Por mais que os outros digam o contrário.

36. Sente que não pode se relacionar

Os relacionamentos mais íntimos também se tornam um problema, até para aquelas pessoas que são casadas.

37. Um pequeno problema vira um problemão

Mesmo sabendo que é algo simples de resolver, a auto-cobrança o faz deixar os problemas maiores.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.