Elizabeth Blackburn cientista prêmio Nobel

7 causas de envelhecimento precoce: 6 delas foi você que escolheu

Clara Dawn

Não são as suas habilidades que revelam quem você é, são as suas escolhas, o modo como você decide conduzir sua vida. O comportamento é o principal agente desencadeador da positividade ou negatividade de nossa saúde integral. E é por isso que a saúde mental está ligada diretamente à saúde de nosso corpo. O nosso cérebro registra todos os nossos pensamentos como reais, e passa a agir de acordo com eles.

É claro que nenhuma pessoa é igual a outra, se fosse assim, seria tudo mais fácil, somos, em tudo, diferentes. Sendo assim, cada um responde às exigências para com a própria saúde, de uma maneira. Entretanto, cientistas identificaram 7 padrões universais no comportamento de pessoas que tiveram envelhecimento precoce, e dentre os 7, apenas o último aconteceu sem o consentimento dela. Confira:

1 – O pessimismo

Pensamentos ruins geram doenças como depressão, ansiedade, mau humor crônico, entre outras doenças do estomago, coração, dores de cabeça, musculares. Isso porque o corpo não suporta tantas situações incompreendidas e mal digeridas, causando um mal estar constante na nossa vida. A neurociência vem estudando os efeitos da positividade e identificou o quanto os nossos comportamentos são geradores de mudanças cerebrais importantes, como vemos em alguns casos de pessoas que passaram por situações traumáticas físicas e mentais se recuperaram.

2 – O cinismo 

Lembra do personagem de Chaves, interpretado pelo ator Roberto Bolaños? Ele sempre dizia: ‘foi sem querer querendo’, e essa frase não é outra coisa senão o conceito do filósofo pós-socrático Diógenes que vivia em um barril e dizia que não era dono de nada, para que nada fosse dono dele. Para os cínicos, o propósito da vida é viver conforme os seus próprios preceitos desmerecendo os preceitos alheios.

Várias pesquisas projetaram um futuro um tanto pessimista em termos de saúde aos cínicos, pois associaram essa visão negativa da natureza humana com um maior risco de mortalidade, menor bem-estar psicológico, diminuição da autoestima e até menor poder aquisitivo. Tudo isso confirma que a maneira como vemos o mundo definitivamente afeta a nós mesmos, e se o olhamos sempre com hostilidade, isso no final se volta contra nós.

Uma recente pesquisa nos traz novos dados. É um estudo feito por dois psicólogos sociais, Daniel Ehlebracht, da Universidade de Colônia, e Olga Stavrova, da Universidade de Tilburg. Após analisar dados de 40.000 pessoas, os pesquisadores concluíram que o cinismo não só é a causa da saúde frágil, como também pode ser a consequência. Esse trabalho mostra como a deterioração da saúde leva a limitações na vida cotidiana, a uma maior dependência dos outros e a uma sensação de não ter controle sobre a própria vida. Tudo isso faz com que as pessoas que sofrem com isso aprendam a criar estratégias de autoproteção, como a desconfiança e a hostilidade, dando lugar a uma visão cínica do mundo.

3 – A ruminação mental dos problemas

A ruminação mental (ou seja revisitar exaustivamente os problemas) é um dos fatores responsáveis pelo agravamento da depressão. Quem tem tendência a isso está suscetível a novos episódios de depressão. Quando o indivíduo rumina sobre alguma situação, sem fazer um esforço pela positividade, tende a se alterar, fazendo com que se sinta mais revoltado e tenso. O melhor remédio para tal, é a pessoa retornar o seu foco para o momento presente. O indivíduo precisa aprender primeiro a aceitar que a ruminação é um problema a ser resolvido, perceber em si mesmo quando ela acontece e abrir mão, por intermédio de práticas positivas como o entretenimento, atividades artísticas, físicas e/ou meditação.

4 – A supressão de pensamento 

A supressão de pensamento: são estratégias que a pessoa utiliza na tentativa de ‘cancelar’ da mente pensamentos indesejados: ao invés de enfrentar, a pessoa usa algum recurso mental para eliminar o pensamento da mente. Os resultados de algumas investigações têm mostrado  pode produzir efeitos opostos aos que se pretende obter. A Universidade de Harvard realizou um experimento com o objetivo de averiguar o efeito da supressão dos pensamentos e quem liderou esse experimento foi o psicólogo social americano e professor Daniel Wegner. Os resultados dessa experiência mostraram que a supressão de pensamentos – ou melhor dizendo, as tentativas de supressão direta dos pensamentos – é improdutiva. Os pensamentos sempre voltam à nossa mente de forma consciente, mas também através dos sonhos. Acontece um rebote do pensamento ou lembrança reprimida. Estudos com pessoas sem perturbações da ansiedade mostram que cerca de 90% têm pensamentos recorrentes. Em síntese: não se pode fugir dos próprios pensamentos, é neles que vivemos ou deixamos de viver. A melhor maneira de lidar com os pensamentos é os expressando de alguma maneira: seja na fala, na escrita, na música, no trabalho, no auxílio ao outro.

5 – A maneira como lidamos com o estresse 

Os cientistas postulam que o desgaste causado pelo estresse e a maneira como lidamos com ele podem tornar a mente e o corpo “mais velhos” ou “mais jovens”. A cientista ganhadora do Prêmio Nobel Elizabeth Blackburn e a psicóloga da saúde Elissa Epel pesquisaram os fatores psicológicos que podem danificar nossos telômeros, que são as pontas protetoras no final dos cromossomos. Quando os telômeros se tornam muito curtos, eles param de se dividir e as células envelhecem. Entanto, as cientistas descobriram que os telômeros também se alongam, o que retarda o processo de envelhecimento: neste caso, a forma positiva como lidamos com nosso estresse pode contribuir. Alguns dos fatores que podem determinar o envelhecimento dos telômeros e prevenir o envelhecimento prematuro no nível celular são: Dieta saudável; Fatores genéticos; O modo como respondemos ao estresse; Uma boa rotina de sono; Exercícios regulares.

6 – Maus hábitos

Se você quiser chegar aos 60/70 anos com boa saúde e aparência mais jovem, precisa se livrar imediatamente desses maus hábitos: alimentação desequilibrada; fumo; álcool; sedentarismo; noites mal dormidas. O primeiro passo para combater o envelhecimento precoce é adotar uma alimentação rica em alimentos antioxidantes, composta por frutas, legumes, hortaliças e grãos integrais. Esses alimentos ajudam a proteger as células e fortalecer o sistema imunológico do organismo, evitando assim, uma série de doenças decorrentes do processo de oxidação celular. Procure já um nutricionista e mude a sua vida.

7 – Os traumas de infância

Um conjunto de pesquisas de longa data mostra que experiências adversas na infância, como abuso infantil; traumas com luto, ou doença ou acidentes; agressão sexual e pobreza extrema, podem afetar negativamente as pessoas até a idade adulta. Experiências adultas que foram associadas à experiências adversas na infância incluem transtorno de estresse pós-traumático, depressão, sintomas dissociativos e outros transtornos psiquiátricos, além de doenças físicas como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares. Um estudo recente encontrou evidências de que crianças que sofrem abuso e violência envelhecem mais rápido, biologicamente, do que crianças sem esse histórico.

Mas pesquisas anteriores relataram resultados mistos sobre se as adversidades na infância estão relacionadas ao envelhecimento acelerado. No estudo mais recente, publicado na edição recente do Psychological Bulletin, os pesquisadores examinaram duas categorias de adversidade entre 116.000 participantes: adversidade relacionada à ameaça, como abuso e violência, e adversidade relacionada à privação, como negligência física ou emocional ou pobreza. Eles descobriram que crianças que sofreram traumas relacionados a ameaças tinham maior probabilidade de entrar na puberdade mais cedo e também mostraram sinais de envelhecimento mais rápido em nível celular – incluindo telômeros encurtados. Mas as crianças que vivenciaram a pobreza ou a negligência não mostraram nenhum desses sinais de envelhecimento precoce.

Em seguida, os cientistas examinaram dados de 3.253 participantes em 25 outros estudos para identificar associações entre adversidades no início da vida e o desenvolvimento do cérebro. Eles descobriram que as adversidades da infância estavam de fato associadas ao afinamento cortical – um sinal de envelhecimento, já que o córtex se afina com a idade. Trauma e violência foram relacionados ao afinamento no córtex pré-frontal ventromedial (envolvido no processamento social e emocional) e a privação foi associada à redução da espessura cortical nas redes frontoparietal, padrão e visual, que estão envolvidas no processamento sensorial e cognitivo.

As implicações dos resultados, de acordo com os autores do estudo: “Esses achados sugerem especificidade nos tipos de experiências ambientais iniciais associadas ao envelhecimento biológico acelerado e destacam a importância de avaliar como o envelhecimento acelerado contribui para as disparidades de saúde e se esse processo pode ser mitigado por meio de intervenção precoce”.

Foto de capa: Elizabeth Blackburn cientista prêmio Nobel, citada no artigo.

Fontes consultadas: 

  • Envelhecimento biológico na infância e adolescência após experiências de ameaça e privação: uma revisão sistemática e meta-análise. Boletim psicológico. Colich, N. et al. (2020).
  • Exposição infantil à violência e condições físicas crônicas em uma amostra nacional de adolescentes dos EUA. McLaughlin, K. A., et al. (2016).
  • Status socioeconômico e transtornos mentais do adolescente. American Journal of Public Health, McLaughlin, K. A., et al. (2012).
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Clara Dawn
Clara Dawn é romancista, psicopedagoga, psicanalista, pesquisadora e palestrante com o tema: "A mente na infância e adolescência numa perspectiva preventiva aos transtornos mentais e ao suicídio na adolescência". É autora de 7 livros publicados, dentre eles, o romance "O Cortador de Hóstias", obra que tem como tema principal a pedofilia. Clara Dawn inclina sua narrativa à temas de relevância social. O racismo, a discriminação, a pedofilia, os conflitos existenciais e os emocionais estão sempre enlaçados em sua peculiar verve poética. Você encontra textos de Clara Dawn em claradawn.com; portalraizes.com Seus livros não são vendidos em livrarias. Pedidos pelo email: escritoraclaradawn@gmail.com