Se você é pai solo forte, este artigo também é para você. Mães solos fortes sabem que esse trabalho não é fácil de forma alguma. Mas elas também reconhecem o profundo valor e privilégio inerentes à criação de seus filhos como mãe ou pai solos.

Mães/pais solos fortes sacrificam consistentemente suas próprias necessidades e querem colocar seus filhos em primeiro lugar. Mas existe muito mais desafios em ser uma mãe solo bem-sucedida do que se colocar em segundo plano em relação as prioridades mais altas dos filhos, quando se tem filhos e, por força das circunstancias, se decide ou se vê obrigada a  cria-los sozinha. E aqui, nós selecionamos 8 comportamentos genuinamente fortes que só uma mãe solo tem.  A mãe solo forte:

1 – Define metas claras

É importante ter uma imagem clara em sua mente do que você quer para você e seus filhos. É daí que vem a convicção, a determinação e o compromisso de que você precisa para ser uma mãe solo forte.

Então, quais são esses objetivos que você deve estabelecer para você e sua família? Dependendo de onde você está agora, eles variam de objetivos simples, como criar uma rotina matinal para facilitar a saída na hora certa, a objetivos de longo prazo, como você voltar a estudar, mudar-se para perto da família, gerenciar seu dinheiro de forma mais eficaz ou melhorar seu relacionamento coparental com seu ex.

2 – Ela se esforça para ser organizada

Ninguém faz mais malabarismos do que as mães solos que trabalham e compartilham a custódia física. Você tem sua própria agenda para gerenciar, além das rotinas regulares de seus filhos, lição de casa e, em seguida, toda a bagagem e transporte que acompanha o gerenciamento de horários da guarda compartilhada.

Para se organizar, tente usar um sistema de calendário online como o Google Calendar. Acredite, essa ferramenta permite que você crie calendários, gerencie eventos repetidos e compartilhe calendários com membros da família, como seus pais e seu ex. Quando você se sentir confortável em usá-las, adquira o hábito de adicionar novos itens ao calendário assim que eles chegarem, como eventos escolares e agendas esportivas de seus filhos .

Um dos principais benefícios para as pais divorciados é que um calendário on-line compartilhado significa que é responsabilidade do seu ex verificar o calendário e manter-se atualizado, em vez de sua responsabilidade de ligar, enviar mensagens de texto ou áudios e com isso acabar em discussões desgastantes. E para as crianças é um grande benefício, porque vocês dois estarão com eles em mais eventos. A agenda compartilhada é excelente estratégia para coparentalidade bem-sucedida.

3 – Ela é flexível 

Não importa o quão organizada você seja, ainda haverá coisas que dão errado ou saem diferentes do que você planejou. Quando isso acontecer, seja criativa e procure soluções alternativas. Não pode ir à escola para buscar seu filho por causa de uma reunião? Ligue para um provedor de cuidados infantis de sua confiança ou faça parte de grupo de apoio entre mães.

Seu ex ligou pedindo para trocar fins de semana com você no próximo mês? Contanto que seja viável para você e para as crianças, tente ser flexível e permitir mudanças – com a expectativa de que ele, ou ela, estenderá a você a mesma cortesia e flexibilidade. Às vezes, o simples ato de responder a um pedido com graça,  é tudo o que você precisa para iniciar um novo padrão de flexibilidade mútua entre vocês.

4 – Ela consegue ser dócil e firme ao mesmo tempo 

mães solo fortes sabem dizer ‘sim sim’ e ‘não e não’ aos filhos. Elas sabem a importância de brincar com os filhos, de criar as regras da casa junto com eles, de eles precisam de uma rotina de sono, alimentação e ludicidade. Ela sabe que os filhos precisam tanto do riso quanto da lágrima; tanto do mimo quanto da frustração; tanto do tempo de brincar quanto da vivência com o tédio; tanto a hora de ceder aos argumentos do filho, quanto ao momento de discipliná-lo. Disciplinar com firmeza e doçura uma criança por mau comportamento com metodologias apropriadas para a idade, é amá-la com responsabilidade. E naqueles momentos em que você não tem certeza do que fazer em resposta a algo que seus filhos fizeram, tudo bem buscar ajuda, tanto de um profissional, quanto do grupo de apoio, dos livros, de artigos em sites confiáveis,  ou de pessoas mais experientes.

5 – Ela sabe quando deve agir sozinha e quando confiar nos outros

Este é um grande problema. Como mãe solo, você provavelmente está acostumada a ser independente, seja por necessidade ou preferência, mas, mães solo fortes sabem que há momentos em que você pode se virar sozinha, e há momentos em que você precisa da ajuda de outras pessoas. E tudo bem precisar de ajuda, como já falamos anteriormente.

Siga este conselho: acesse sua rede. Pode ser que você se veja acreditando que não há ninguém por perto para dar apoio e incentivo quando você precisar. Mas é provável que você não esteja tão sozinha quanto se sente. Dê uma boa olhada ao redor e descubra novas oportunidades para investir em relacionamentos de amizade e parcerias, seja com colegas de trabalho, vizinhas e/ou velhos amigos. Outrossim, a ideia de criar uma rede de apoio também pode partir de você. Que tal?

6 – Ela acredita em si mesma

Esta é uma das coisas mais importantes que você pode fazer como mãe solo. Sua situação pode não ser perfeita, mas você é suficientemente forte para ser a protagonista da sua história como a boa mãe solo, aquela, como ensinou Freud, a mãe que vai se fazendo desnecessária, pois ensinou aos filhos, por intermédio do exemplo, acreditarem em si mesmos. Faça uma retrospectiva dos meses e anos anteriores e dê a si mesma aplausos por tudo o que você realizou e suportou com sucesso até agora.

Reconheça o que você passou e o quanto você é mais forte hoje do que no dia em que iniciou esta jornada. E se você não estiver convencida, pegue um diário e comece a escrever, mesmo que seja em um caderno espiral surrado! Apenas comece a anotar o que está acontecendo, como você está lidando com isso e o que você notou sobre si mesma ao longo do caminho. Pense nisso como documentação para seu próprio crescimento pessoal. Da próxima vez que você se perguntar até onde chegou, poderá olhar para trás e vê-la em seu caderno.

7 – Ela sabe que as dificuldades são temporárias

Mães solos fortes têm perspectiva. Elas são capazes de ver que o que é mais difícil agora não é necessariamente a maior coisa com a qual estará lidando daqui a um mês – ou mesmo daqui a uma semana.

Para contextualizar o que você está passando, adicione a frase “por enquanto” ao seu vocabulário de conversa interna. Você está envolvida em conflito com seu ex sobre a guarda dos filhos? Por enquanto — porque uma resolução está chegando. Você está frustrada porque o seu filho de quatro anos tem sido pegajoso e chorão? Por enquanto ele tem sido estado assim, mas você pode estudar como lidar com isso e logo essa fase passará.

Quando você reconhece que suas lutas atuais são temporárias, você se permite ver soluções a longo prazo e se estabelecer maneiras de ir lidando com as dificuldades. E é aí que você começará a vislumbrar toda a esperança e alegria que seu futuro reserva.

8 – Ela é empática e solidária com outras mães 

Finalmente, as mães solos fortes sabem que conquistaram cada pedacinho de força e confiança que construíram ao longo dos anos e são generosas em compartilhar sua jornada para que outros possam se beneficiar.

Repetimos: considere iniciar um grupo de apoio para mães solos em sua área para que outros mães solo possam encontrar apoio, encorajamento e camaradagem com mais facilidade. Se você organizar um encontro de mães uma vez por mês, você ficará surpresa com quantas mães e pais solteiros em sua cidade estão procurando um grupo para participar.

Enfim, não importa onde você esteja nesta jornada, saiba que o trabalho que você está fazendo é importante e, a cada ano que passa, você ganhará outra medida de confiança e força. Em pouco tempo, você verá o que as pessoas estão vendo em você há um bom tempo: você arrasa!

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.