A fome é o maior problema solucionável do mundo, afirma a ONU

Portal Raízes

O alimento é produzido para qual finalidade? Matar a forme, sim? Mas todo o alimento produzido no mundo vai para quem tem fome ou para quem tem dinheiro?

A fome é o maior problema solucionável do mundo. Entretanto, com a concentração de riquezas nas mãos de uma pequena parcela da população, 870 milhões de pessoas passam fome, segundo a ONU. No Brasil 10,3 milhões de pessoas não têm o que comer. Se levarmos em consideração os efeitos da crise sanitária provocada pela Covid-19, a fome no mundo poderá alcançar de 83 a 132 milhões de pessoas a mais.

Em entrevista à BBC News Brasil por telefone, Balaban, diretor do Centro de Excelência contra a Fome e representante do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) no Brasil, afirma que a “luz amarela para fome no Brasil foi acesa” devido “à regressão das políticas sociais” e que será preciso agir rápido para evitar que o país volte ao Mapa da Fome, quando mais de 5% da população enfrenta insegurança alimentar grave. E pensar que no Brasil só o auxílio paletó pago aos políticos daria para alimentar 37 mil famílias por 4 anos.

“Dá para reverter esse quadro se houver união nacional. A própria população brasileira solicitando e fazendo pressão em cima dos entes públicos”, diz Balaban.

Confira abaixo os tópicos compilados pelo Programa Mundial de Alimentos, PMA:

As Nações Unidas publicaram, no início deste ano uma lista sobre as 10 coisas que todos devem saber a respeito da fome. As informações são de Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU, em Nova York. 

1. O mundo tem cerca de 870 milhões de pessoas que não têm o necessário para comer para levar uma vida saudável. Isto significa que um em cada oito habitantes do globo vai para a cama, todos os dias, com fome.

2. A maioria do progresso contra a fome foi alcançado antes de 2007/2008, quando ocorreu a crise econômica global. Desde então, os avanços na redução do problema foram desacelerados e estagnados.

3. A fome é o problema número 1 na lista dos 10 maiores riscos de saúde. Ela mata mais pessoas todos os anos que doenças como Aids, malária e tuberculose juntas.

4. A má nutrição está ligada a um terço das mortes de crianças com menos de cinco anos nos países em desenvolvimento.

5. Os primeiros 1.000 dias da vida de uma criança, da gravidez aos dois anos de idade, são fundamentais para o combate à má nutrição. Uma dieta apropriada, nesta fase da vida, protege os menores de nanismo físico e mental, que podem resultar da má nutrição.

6. Custa apenas 50 centavos de real, por dia, para garantir que uma criança tenha acesso a todas os nutrientes e vitaminas necessários ao crescimento saudável.

7. Se mulheres, nas áreas rurais, tiverem o mesmo acesso à terra, à tecnologia, à educação, ao mercado e aos serviços financeiros que os homens têm, o número de pessoas com fome poderia diminuir entre 100 e 150 milhões.

8. Até 2050, as mudanças climáticas e os padrões irregulares da temperatura terão colocado mais 24 milhões de pessoas em situação de fome. Quase metade destas crianças estarão vivendo na África Subsaariana.

9. É provável que a recessão global causada pelo novo coronavírus leve à fome entre 83 e 132 milhões de pessoas a mais.

10. A fome é o maior problema solucionável do mundo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.