Senior woman and adult daughter laughing on porch

As mulheres começam a se comportar como suas mães quando completam 33 anos

Portal Raízes

Embora amemos nossas mães, somos nós que as conhecemos mais do que ninguém . Sabemos quais são suas maiores qualidades, mas também estamos cientes de seus defeitos.

Certamente, temos uma lista enorme de tudo o que admiramos sobre elas e queremos replicar. No entanto, também juramos nunca cometer os erros que vimos por tanto tempo.

O problema? Ficar longe dos comportamentos que te formaram e daqueles com que você cresceu é muito mais complicados do que parece. A situação é tão comum que os cientistas decidiram investigar o que acontece com as atitudes que reproduzimos.

Foi o Dr. Julian de Silva, do Centro de Cosmética Facial e Cirurgia Plástica em Londres, quem conduziu uma investigação; as mulheres terão comportamentos muito semelhantes aos de suas mães quando completarem 33 anos e os homens aos de seus pais aos 34 anos.

O estudo

Duas mil pessoas (homens e mulheres) foram levadas como voluntárias. Elas se viram confessando que, quando completaram 30 anos, perceberam como haviam desenvolvido comportamentos muito semelhantes aos de suas mães ou pais.

Segundo Silva, os sinais que mostram que as filhas estão virando suas mães inclui assistir aos mesmos programas de televisão, ter os mesmos hobbies e falar as mesmas expressões que elas falam.

Já os homens, começam a agir e falar como seus pais aos 34. Desligar luzes de cômodos vazios, engordar e conversar sobre política constantemente estão entre os indícios da transformação masculina.

Dessa maneira, o Dr. Julian garantiu que é inevitável adotar várias características comportamentais de nossos pais. A idade média dos voluntários que confessaram imitar alguns comportamentos parentais foi de 33 anos.

Conte nos comentários se você já se viu repetindo algumas atitudes de sua mãe, inclusive atitudes que antes você detestava e que hoje compreende o motivo de tal.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.