Este aspecto tinham as frutas e verduras antes de serem domesticadas

Portal Raízes

Todas as frutas e vegetais que conhecemos e consumimos hoje eram totalmente diferentes antes de serem geneticamente modificados para transformá-las em produtos de consumo em massa. Isto foi conseguido através da reprodução seletiva feita por agricultores e empresas responsáveis por cultivá-los, escolhendo e alterando certas características genéticas ao longo do tempo.

Embora seja difícil de acreditar, aqui estão algumas verduras e frutas que comemos hoje, antes de serem geneticamente modificadas ou, mudando naturalmente a aparência e até mesmo o gosto por completo. Com essas imagens, mostraremos o quanto eles mudaram de sua aparência original para os anos atuais.

Melancia selvagem

Nesta pintura feita em 4 anos, nos mostra como as melancias costumavam ser vistas antes de ser modificadas anos mais tarde pela demanda e consumismo delas ao redor do mundo. Podemos notar como a cor vermelha que conhecemos agora não estava presente e havia mais espaço livre entre as sementes e o resto da melancia.

Melancia modificada

As melancias foram geneticamente modificadas para obter um interior mais carnudo, doce e vermelho, e assim ter o sabor que gostamos tanto desta fruta refrescante. Em alguns países, como a China, a forma circular da melancia  foi modificada para uma forma quadrada e é considerada uma iguaria de alto custo.

Cenoura selvagem

Ao redor do século X, as primeiras cenouras foram cultivadas em algumas regiões da Ásia, e podemos notar que originalmente não tinham essa cor laranja que as torna tão familiares e peculiares.

Cenoura modificada

Ao longo do tempo, essas raízes que costumavam ser pálidas e alongadas foram geneticamente modificadas para alcançar essa cor impressionante e gosto que as caracteriza tanto. Elas também foram modificadas para cultivar cenouras de tamanho pequeno que mantêm o mesmo sabor que as grandes e são aquelas encontradas no supermercado.

Beringela selvagem

As primeiras beringelas foram cultivadas na China e sua aparência era totalmente diferente da que conhecemos hoje. O tamanho e a cor variaram e o tronco delas estava cheio de espinhos.

Berinjela modificada

Atualmente, elas têm uma aparência alongada e uma cor exterior roxa brilhante que as distingue do resto e, em termos de tamanho, geralmente são de tamanho médio grande em comparação com várias frutas e vegetais que consumimos.

Banana selvagem

Este é um dos frutos que sofreu a maior parte das mudanças desde a sua modificação genética, e aquelas pequenas sementes que quase não percebemos atualmente usavam um tamanho grande, o que seria totalmente estranho de ver agora.

Banana modificada

Está entre as frutas mais doces e com potássio, distinguindo-se por essa cor amarela brilhante que nos permite saber que está madura e pronta para ser consumida. As sementes foram ficando cada vez menores, tanto assim que nem as notamos muitas vezes.

Milho selvagem

O milho costumava ser comestível apenas antes de ser geneticamente modificado. As primeiras mudanças feitas foram cerca de 7.000 aC, sendo parte das culturas mais importantes para civilizações antigas, incluindo os maias.

Milho modificado

Atualmente, ele é bem conhecido por seus grandes grãos amarelos e esse sabor que gostamos tanto de milho. Essas mudanças começaram a ocorrer a partir do século XV, com a chegada de colonos europeus que começaram a cultivá-los.

Pêssego selvagem

Os suculentos e grandes pêssegos que conhecemos agora costumavam ser pequenas frutas com pouca carne e sem gosto como uma lentilha até que começaram a ser domesticados há séculos atrás.

Pêssego modificado

Com o passar do tempo, os pêssegos conseguiram obter esse tamanho grande, gosto doce e carne suculenta que amamos e desfrutamos quando os comemos.

Tomate selvagem

Embora o vermelho peculiar do tomate não tenha mudado em absoluto, o tamanho deles costumava ser tão pequeno que mal percebemos se os vemos hoje enquanto andamos perto eles.

Tomate modificado

Com o passar do tempo, seu tamanho foi modificado até que eles puderam ser esses tomates grandes e saborosos que são tão consumidos por todos em todo o mundo, e que uma vez acreditavam que eram venenosos.

Repolho selvagem

Esta planta selvagem que cresce no chão costumava ser uma planta cor mostarda selvagem que foi geneticamente alterada para serem os grandes repolhos que conhecemos agora.

Repolho modificado

O tamanho e a cor mudaram completamente e foi possível deixar reproduzir repolhos, brócolis e couve-flor, todos com diferentes formas e cores.

Beterraba selvagem

Se os víssemos assim, eles passariam completamente despercebidos porque não os reconheceríamos. A cor pálida foi alterada com a manipulação genética que sofreu ao longo do tempo.

Beterraba modificada

O que torna as beterrabas tão conhecidas e diferentes é aquela cor roxa avermelhada forte que consegue manchar a pele apenas tocando-a. É difícil imaginar outra cor além dessa, mesmo que haja algumas variações, no entanto elas não mudam muito.

Morango selvagem

Aparentemente, sua aparência era muito semelhante à das framboesas, mas isso foi mudando junto com o sabor e o tamanho por serem modificados para ser consumidos e ter esse gosto doce que gostamos tanto.

Morango Modificado

Esta fruta vermelha e deliciosa que parece ser a protagonista de várias sobremesas mudou muito com o passar do tempo graças às modificações feitas pelo ser humano. E, como o resto das frutas e vegetais que mencionamos antes, todos mudaram, deixando de ser completamente o que eram antes.

Fonte: Mundo.com

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.