O curta-metragem “Bao”, ganhador do Oscar 2019 de melhor curta de animação, traz o retrato de uma mãe super protetora, e convida a refletir sobre os excessos de culpa e preocupação que costumam acompanhar a experiência da maternidade. Dirigido pela cineasta chinesa Domee Shi, Bao dá uma reviravolta nas histórias tradicionais de amadurecimento com um toque duramente sincero.

Uma mãe derrama seu amor incondicional e superproteção a fim de proteger seu filho de qualquer perigo percebido. Mas quando o Baozi começa a crescer, se distancia emocionalmente de sua mãe e sai de casa para começar sua própria vida. A mãe então, experimenta a Síndrome do Ninho Vazio, um estado de solidão quando as crianças crescem e saem de casa, o que a deixa com o coração partido sempre que se lembra de todas as memórias e apegos que compartilhou com seu filho.

O curta é lindo, emocionante e necessário para nossa compreensão do quanto é difícil ser e estar no papel de mãe e conviver com todas as armadilhas psicossociais que transitam entre ensinar o filho a voar para ganhar o mundo ou lhe proteger dos abismos dele.

Assista o filme na íntegra abaixo:

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.