Quando falamos de criança feliz, não devemos confundir com a ideia de que ser feliz é nunca passar por frustrações, é nunca ser contrariado, nunca ouvir não, não ser inserido ás regras e à realidade do mundo.

É evidente que a frustração, por mais que não gostemos dela, é uma parte da vida, e o seu filho sofrerá com ela mais cedo ou mais tarde. No entanto, uma criança feliz e bem criada terá as ferramentas necessárias para superar qualquer fase ou trauma.

Isto é, uma criança feliz não é uma criança mimada. O pequeno deve saber onde estão seus limites e o que pode e o que não pode fazer. No entanto, este conhecimento não tem por que ser dramático ou traumático. Uma criança que sabe que é amada, que é feliz em seu ambiente familiar, que diferencia as limitações da sua vida e as aceita é uma criança plena que crescerá em um ambiente excelente e será mais responsável e consciente de si mesmo e do que está acontecendo ao seu redor.

Um estudo que testou uma premissa central da psicologia positiva em uma amostra de crianças pré-escolares, em Harris Early Learning Center em Birmingham, Alabama, revelou que crianças felizes são socialmente bem-sucedidas e apresentou 7 traços em comum com entre as crianças felizes.

Quais as características de uma criança feliz?

Agora vamos enumerar uma série de características que descrevem uma criança feliz, e como estas a tornam mais responsável por tudo que acontece em sua vida e ao seu redor:

1 – Uma criança feliz tem melhor caráter 

Toda criança que vive feliz em seu ambiente familiar desenvolve um bom caráter. Isso é muito saudável, porque faz com que ela tenha mais facilidade para interiorizar os conceitos de justiça e honestidade. O bom caráter da criança feliz lhe dá várias virtudes. Uma criança que cresce em um mundo feliz aprende virtudes como a honestidade, a temperança, o amor, o sacrifício pelos outros, a empatia, a generosidade, a humildade e a capacidade de se esforçar para superar fases adversas da vida.

2 – Uma criança feliz é mais positiva 

Toda criança feliz tem uma visão da vida muito mais positiva. É proativa e íntegra, e verá primeiro as soluções para os problemas que podem prejudicá-la. Ela irá trabalhar muito duro para superar a adversidade e será muito agradecida.

3 – A criança feliz é mais receptiva

Uma criança feliz que tem uma relação saudável com seus pais será mais receptiva ao amor, ao apego emocional, à comunicação com os outros e aos ensinamentos que receber ao longo da vida.

4 – Uma criança feliz aprende mais

Como dissemos, a criança feliz é mais receptiva e, portanto, mais permeável aos ensinamentos e conhecimentos. Neste sentido, entende melhor os exemplos, presta atenção quando alguém fala e escuta as diferentes opiniões de seus pais, sendo capaz de discernir o bem do mal, tirando suas próprias conclusões.

5 – A criança feliz distingue prioridades

Uma criança que vive em um ambiente feliz aprende a distinguir suas prioridades. Por exemplo, ela sabe que o acesso aos brinquedos, à tecnologia e aos prêmios são um privilégio, nunca um direito. Ela entende o valor das coisas e respeita isso.

6 – A criança tem consciência autorregulatória

Uma criança feliz entende bem as mensagens e sabe distinguir entre o bom e o mal, pois desenvolve uma poderosa consciência autorregulatória. Isso graças à educação emocional, que a torna mais receptiva e consciente.

7 – A criança feliz sabe como desenvolver a sua vida 

Uma criança feliz aprende a dar importância às prioridades da vida, como a família, a amizade, o amor, o altruísmo, a solidariedade, os valores e a ética. Desta forma, ela estará menos desorientada, desenvolverá mais cedo sua capacidade de discernimento e evitará cair em comportamentos de risco.

8 – Uma criança feliz é fisicamente ativa, e seus pais também são

Pessoas fisicamente ativas e saudáveis tendem a ser mais felizes em qualquer idade, e as crianças com maior probabilidade de sair e se envolver em atividades físicas tendem a ter pais fisicamente ativos. Um estudo encontrou uma relação direta entre pais sedentários e crianças sedentárias.

9 – Uma criança feliz não gosta de ficar muito tempo em frente as telas

Pesquisas sobre a saúde e a vida de crianças de baixa renda que não têm acesso ás telas, e consequentemente passam mais tempo com brincadeira que exigem mais atividade física e criatividade, são naturalmente mais felizes do que crianças que passam horas em frente ás telas. Consequentemente quando a criança tem oportunidades de exercer suas habilidades e de gastar sua energia com atividade lúdicas, longe das telas, elas vão preferir essas atividades. Outra coisa que a pesquisa descobriu é que crianças que ficam muito tempo em frente as telas são mais propicias á obesidade, que por sua vez pode impactar a felicidade. O fator mais importante que os pesquisadores descobriram foi a disponibilidade de telas e o tempo que passa com elas.

10 – Uma criança feliz persegue suas paixões

Um estudo descobriu que crianças com alto desempenho, embora muitas vezes inteligentes e contenciosas, eram ainda mais propensas a ter uma característica fundamental: coragem. A vontade de perseguir paixões apesar dos obstáculos pode ser o fator mais importante para uma criança conseguir o que deseja da vida a longo prazo.

11 – Uma criança feliz dorme bastante

Embora as recomendações exatas sobre a quantidade de sono que as crianças devem dormir tendam a mudar, as crianças bem descansadas tendem a ser fisicamente mais saudáveis e menos estressadas.

12 – Uma criança feliz tem pais validam suas emoções e se envolvem na sua vida escolar

Uma revisão dos estilos parentais chineses e americanos encontrou benefícios e fraquezas, sugeriu que os pais envolvidos na vida acadêmica e emocional de seus filhos, terão jovens adultos mais bem preparados para o futuro profissional, bem como para toda sua vida psicoemocional.

13 – Uma criança feliz sente prazer em fazer as refeições juntamente com as pessoas do ambiente familiar

Outro fator encontrado para impactar a saúde e o bem-estar das crianças? Rotinas como a hora das refeições em família. É claro que comer juntos por conta própria não mudará a vida das crianças, mas a construção de hábitos sociais saudáveis pode.

É evidente que uma criança feliz terá uma existência mais plena e completa. Mas lembre-se, jamais confunda isso com excesso de mimo, liberdade sem limites e apego pelas coisas materiais, pois esse é um erro que cria comportamentos tirânicos e dependentes. Deixe simplesmente que a criança seja ela mesma em um ambiente emocional de carinho e compreensão.

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.