Um momento emocionante protagonizado por uma senhora com Alzheimer tem tomado conta da internet nos últimos dias. Marta C. Gonzalezfoi a principal dançarina do Ballet de Nova York, na década de 1960, estava em um lar para idosos quando um integrante da ONG Música Para Despertar colocou Tchaikovsky para ela ouvir. A organização promove o uso da música como terapia contra doenças.

Mesmo sofrendo com a perda de memória decorrente da doença, conseguiu se lembrar dos movimentos que executava nos palcos. O vídeo foi gravado em 2019, antes da morte da idosa no mesmo ano, no asilo em Valência, na Espanha, mas ganhou repercussão recentemente. Confira e se emocione:

A cena é emocionante. A bailarina começou a dançar em sua cadeira de rodas ao relembrar os passos da coreografia que dançou em 1967, quando foi a protagonista da peça ‘Lago dos Cisnes’ . No vídeo, imagens da época foram resgatadas e inseridas entre aparições dela.

O diretor da fundação, Pepe Olmedo, disse em entrevista a um site espanhol que se surpreendeu com a reação da idosa. “Fomos dar um treinamento naquela residência e conhecemos a Marta. Foi algo absolutamente impressionante”, disse.

__

Se você gostou do texto, curta, compartilhe com os amigos e não se esqueça de comentar, isso nos ajuda a continuar trazendo conteúdos incríveis para você. Siga-nos também no Instagram e Youtube.

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.