Enquanto a cura não chega e tudo fenece: se obrigue a fazer estas 6 coisas

Clara Dawn

Estamos todos á mercê desse infortúnio no qual chamamos de novo coronavírus. É verdade que ele não atinge da mesma maneira ricos e pobres. Os ricos têm plano de saúde e isso lhes garante uma chance muito mais positiva de se recuperar da doença com o menor sofrimento possível.

Mas o ponto em comum é que fomos todos “atropelados” por essa Covid-19 e é evidente que a grande maioria da população ficará desolada de um jeito ou de outro: ou porque perdeu um ente querido; ou porque perdeu o emprego; ou porque teve que fechar o seu negócio; ou porque não pôde continuar seus projetos, seu tratamento, suas aulas; ou porque adoeceu física, mental ou emocionalmente por causa do isolamento; ou porque a vivência diária com os filhos lhe mostrou que as coisas não estão muito bem; ou porque o casamento se desfez diante de todas as dificuldades e a obrigatoriedade do convívio rotineiro em demasia… ou especialmente porque essa pandemia parece não ter mais fim.

Quando pensamos que ela está acabando em algum lugar do mundo, eis que surgem novos casos, mais dúvidas, menos isso, mais aquilo. Assim, a esperança sempre se declina, e é por tudo isso que estamos em luto coletivo, onde cada um, a seu modo, está enfrentando as fases do luto: susto, raiva, negação, barganha, depressão e aceitação.

Não é bom para a saúde mental esperar a crise passar esperando

Não é bom para a saúde mental esperar a crise passar esperando. É melhor esperar passar, vivendo da melhor maneira possível. Por nós mesmos e por aqueles que convivem conosco: os mais íntimos e também o do universo virtual. Pensando nisso, eu mesma adotei a postura de me obrigar a praticar essas 6 coisas diariamente, seja nos dias úteis, finais de semana ou feriado. São elas: trabalhar, se exercitar, se divertir, fazer uma atividade artística, descansar e ajudar alguém. Não necessariamente nessa ordem. Você pode alternar como preferir, mas tente fazer todas elas ao longo do dia.

Para suportar com saúde integral essa realidade de trabalho, relacionamentos e vida pessoal tudo no mesmo lugar: pratique essas 6 coisas durante o seu dia. Todos os dias se obrigue a fazê-las, sem ignorar nenhuma delas, nem que seja por alguns minutos somente.

1 – Faça uma atividade física: exaustão física e água, eis duas coisas extremamente importantes para as saúdes física e mental: a exaustão vinda da corrida, da dança, da natação, da musculação, ou de outra atividades físicas ativa a produção de hormônios muito positivos à saúde de modo integral: seu intestino funcionará melhor, você dormirá melhor, você acordará feliz mesmo que não tenha tido surpresas felizes. Faça alguma coisa, mesmo que seja em casa com aqueles vídeos aulas do Youtube. Mesmo nos dias de descanso não despreze a atividade física, nem que seja alguns segundos de respiração, de caminhada tranquila, de contemplação do belo.

2 – Faça uma atividade artística: Cante, dance, pinte, escreva, brinque de karaokê, declame uma poesia, cole um quadro na parede, faça um origami, mude os móveis de lugar, crie um arranjo, aprenda uma frase em outra língua, experimente uma nova receita, costure, faça uma maquiagem… Qualquer coisa que possa lhe estimular espasmos cognitivos.

3- Trabalhe: Não importa o dia, se útil, feriado ou férias, o trabalho é adição, é soma preciosa à nossa qualidade de vida. Entenda por trabalho não apenas aquele que você desenvolve para ganhar dinheiro para o sustento. Trabalho, neste prisma, pode ser algo que você realiza por no mínimo meia hora: se obrigar à fazer atividades físicas e/ou artísticas; se obrigar a estudar ou ler um livro daquela lista que você fez e nunca concluiu; se obrigar a aprender que seja uma frase em outro idioma, nem que seja pelo Google tradutor; organizar as próprias gavetas; consertar a torneira; pintar as paredes; reciclar; plantar; decorar; aprender uma nova técnica; conhecer novas ferramentas e muito mais. Use a imaginação.

4 – Descanse: ainda que seja por 5, 10 ou 15 minutos, sente, respire, feche os olhos, contemple uma paisagem, ouça uma música que acalme: sons da natureza ou instrumental. Ou nada disso, apenas durma aquele soninho lindo da beleza.

5 – Divirta-se: Não importa o quão atribulado é o seu dia, se obrigue a tirar uns minutos para se divertir. Seja assistindo uma série; dançando; cantando; batendo um papo descontraído com alguém que goste; vendo vídeos de gatinhos, cachorrinhos, crianças ou outros que lhe faça dar gargalhadas.  É comprovado terapeuticamente que rir muito durante o dia, nos ajuda a dormir melhor a noite. Pois a gente não sorri porque é feliz. A gente é feliz porque sorri.

6 – Ajude alguém: É comprovado em muitos estudos que nossa percepção do próprio sofrimento se transforma a medida que tentamos amenizá-lo, ajudando alguém. Solidariedade não é oferecer aquilo que lhe sobra, mas aquilo que também lhe faz falta. Por isso, benevolência e paciência com o outro também é solidariedade, escuta é solidariedade, uma palavra de afeto é solidariedade, um apoio emocional é solidariedade, uma ligação é solidariedade. Não deixe seu dia terminar antes de ouvir ao menos ‘um obrigado’.

Tente! No começo será difícil, mas depois será uma rotina bem natural.

Texto de Clara Dawn, escritora, psicopedagoga, psicanalista, pesquisadora, palestrante. Especialista em prevenção à drogadição, aos transtornos mentais e ao suicídio na infância e na adolescência. 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Clara Dawn
Clara Dawn é romancista, psicopedagoga, psicanalista, pesquisadora e palestrante com o tema: "A mente na infância e adolescência numa perspectiva preventiva aos transtornos mentais e ao suicídio na adolescência". É autora de 7 livros publicados, dentre eles, o romance "O Cortador de Hóstias", obra que tem como tema principal a pedofilia. Clara Dawn inclina sua narrativa à temas de relevância social. O racismo, a discriminação, a pedofilia, os conflitos existenciais e os emocionais estão sempre enlaçados em sua peculiar verve poética. Você encontra textos de Clara Dawn em claradawn.com; portalraizes.com Seus livros não são vendidos em livrarias. Pedidos pelo email: escritoraclaradawn@gmail.com