No dia 30/12, uma mulher matou o vizinho no bairro Penha, em Santa Catarina. Em depoimento à polícia, a mulher revelou que o crime aconteceu após ela flagrar o homem tentando abusar sexualmente de sua filha de cinco anos.

De acordo com as autoridades, o homem morava em uma casa próxima ao local onde o crime ocorreu e a mulher era inquilina dele. Conforme a acusada, as brigas eram frequentes entre o proprietário da residência e os vizinhos, porque ele fazia uso excessivo de álcool.

O homem de 60 anos, havia investido contra a mãe da menina com uma foice, na noite de quinta-feira (30), enquanto a mulher o impedia de violentar sexualmente a criança, informou o agente responsável pela Delegacia de Polícia Municipal (DPMu), Allan Coelho.

“Houve uma discussão entre eles, e o homem se armou de uma foice para agredir a mulher, atingindo-a nas pernas, braços e mãos. A mulher, por sua vez, armou-se de um facão para se defender e também atingiu o homem, principalmente no peito, braços e mãos. Parecia um campo de guerra”, relatou.

De acordo com o agente, as agressões iniciaram na porta da casa da mulher e seguiu pelo pátio do imóvel. O homem residia no andar superior, na mesma edificação, e cuidava de um estacionamento no mesmo terreno.

Ferido, o homem saiu do terreno onde ocorreu o atrito e caminhou por aproximadamente 100 metros, segundo a polícia, até cair na rua, onde morreu. Já a mulher, bastante ferida, foi levada para atendimento médico e, em seguida, encaminhada à delegacia.

“O delegado de plantão liberou ela, pois pela dinâmica dos fatos e relatos de testemunhas, entendeu que ela agiu em legítima defesa”, esclareceu Coelho.

As filhas da mulher, de 2 e 5 anos, foram atendidas pelo Conselho Tutelar até a liberação da mãe, que foi orientada a buscá-las na instituição ao sair da delegacia.

Saiba como denunciar casos de violência sexual contra crianças e adolescentes

É importante que as pessoas denunciem a violência sexual para interromper a violação, proteger as crianças e os adolescentes e garantir uma plena assistência médica e psicológica. O registro das denúncias deve ser feito aos órgãos oficiais, mantendo o sigilo ao denunciante para resguardar a criança e o adolescente para que seja apurado e feito o encaminhamento necessário.

Onde realizar a denúncia:

  • Disque 100 – O Disque 100, o app Direitos Humanso e o site da ONDH são gratuitos e funcionam 24 horas por dia, inclusive em feriados e nos finais de semana.
  • Disque 180 – A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência.
  • Disque 190 da Polícia Militar e o 181, da Polícia Civil – para um atendimento rápido às ocorrências.
  • Conselho Tutelar mais próximo.
  • Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) mais próximo.
  • Delegacia da Infância e da Juventude.

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.