Madrasta adota enteado com autismo rejeitado por sua mãe biológica

Portal Raízes

A adoção é um gesto de amor, que só os bravos estão dispostos a fazer. Não é para todos, porque é preciso algo mais, um sentimento profundo. Tudo isso e muito mais foi o que Adrieli sentiu quando conheceu o pequeno Vinícius. Ela era só a sua madrasta até recentemente, mas decidiu lutar na justiça pela criança que fora rejeitada por sua mãe biológica. Essa é a história de uma linda família, formada por Adrieli (mãe), Diogo (pai) e Vinicius (filho).

Adrieli conheceu Diogo quando o jovem tinha 21 anos e tinha um filho de apenas 5 meses. Para ela não era problema, pelo contrário, sempre sentiu uma ligação especial com aquele rapaz.

Assim os meses e anos se passaram e formaram uma família, onde, apesar de não ser a mãe, Adrieli sentia uma responsabilidade e um amor indescritíveis por “Vini”.

Eles se tornaram marido e mulher, mas algo estava faltando. Ela sentiu a necessidade de incluir ainda mais o pequeno. Ela queria ser a mãe legal de Vinicius, com o nome dela na certidão e em todos os papéis legais.

Assim começou o processo, que durou cerca de 10 meses, com audiências públicas, visitas a assistentes sociais, psicólogos e todo tipo de barreiras.

O pequeno Vinicius sempre foi muito especial (como cada filho para seus pais), mas durante a pandemia ele teve preocupações diferentes. Algo novo estava se aproximando.

“Resolvi procurar ajuda, afinal, não sabia nada sobre a sua família biológica. os médicos então o diagnosticaram com autismo”, Adrieli comentou com a mídia local.

Não foi e não tem sido um caminho fácil. Passaram-se momentos complexos, em que se perguntaram por que isso estava acontecendo com sua família.

“Começamos a escrever um livro sobre a vida de Vinícius com novos capítulos. Meu coração está cheio de orgulho e gratidão. Sou grata por ser mãe de uma criança tão especial. Queria contar nossa história para que todos soubessem que nem todas as madrastas são más, que o diagnóstico de autismo não é o fim do mundo e que ainda há motivos para acreditar”.

Eles entenderam que muitas vezes as batalhas mais complexas são destinadas aos melhores guerreiros. Por fim, tudo terminou como esperado, com Adriele como a mãe oficial do pequeno “Vini” e formando uma família extraordinária. O amor sempre consegue ter sucesso.

Texto de Upsocl, traduzido e adaptado por Portal Raízes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.