Aos 71 anos, Faustão se despede de sua mãe Cordélia Moraes Correia Silva, 95 anos, que morreu na madrugada desta quinta-feira, 24. A assessoria de imprensa do apresentador confirmou a informação, mas a causa da morte não foi divulgada.

Em novembro do ano passado, Faustão chegou a homenagear sua querida mãe, no Domingão do Fustão, na TV Globo, pela vitória de Cordélia ao superar a covid-19. Mesmo sendo sempre discreto sobre sua vida pessoal, Faustão emocionou a todos com a história de sua mãe em um emocionante depoimento. “Eu raramente falo da minha vida pessoal nesse programa, não comemoro aniversário, um jeito meu. Mas hoje é um dia especial, então vou pedir licença aos meus colegas e amigos aqui, e vou explicar para vocês o porquê. Imagina uma menina nascida em uma família abastada, nos anos 20 e 30, e que repente aos 12 anos de idade, com o pai engenheiro e fazendeiro em ótima situação econômica, ele morre aos 40 anos” disse Faustão. “Essa menina, com mais três irmãs, fica órfã de pai. Ainda assim, ela, a mãe e as três irmãs foram à luta com todas as dificuldades. (…) Conseguiu ao longo da vida falar 4,5 idiomas e levou a questão da educação, de ser professora, como uma missão de vida. Mais do que isso, casou com um economista, teve 6 filhos e durante a vida, mostrou o que é ser mãe em todos os sentidos”, continuou. “Hoje esta mulher está completando 95 anos de idade. Estou falando da minha mãe, a professora Cordélia Moraes Correia Silva, que voltou a pintar há 8 anos e mostrou que a vida é isso.

Você toma as rasteiras, mas encara os altos e baixos, sempre com muita fé, com aguerrimento, serenidade, lucidez, e mais ainda: esta mulher aos 95 anos, que está comemorando hoje, foi testada positiva para o coronavírus e superou o Covid. Vê se não é poderosa e abençoada a dona Cordélia. A homenagem tinha que ser feita”, afirmou Faustão.

 

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.