A procrastinação é o malabarismo que você realiza entre o que você está fazendo e o que deveria estar fazendo. A falta de atenção e dedicação ás nossas atividades, são constantes na nossa rotina. Dificilmente estamos 100% atentos às tarefas que estamos executando ou ao que alguém está falando. Parte dessa culpa, são os muitos estímulos que recebemos.
Estudos apontam que nossa mente está dispersa e distraída em nossos pensamentos durante praticamente 47% do tempo. Ou seja, é como se metade da vida estivéssemos pensando em outra coisa, e deixando de lado o presente.

Não estar com a mente tranquila e focada pode afetar não só a nossa vida pessoal e nossa a autoestima, mas também a nossa vida profissional.  Então, por que procrastinamos? De acordo com Joseph Ferrari, professor de psicologia da Universidade DePaul, os procrastinadores são divididos em três categorias principais:

  • O Caçador de Emoções: Aquele que espera até o último minuto para vivenciar a pressa do cumprimento de prazos – o que, embora ele saiba que tenha suas desvantagens, mas aumenta a adrenalina.
  • Aquele que se sente um impostor: é aquele que evita a tarefa por medo de falhar e ser julgado.
  • O Indeciso: Aquele que procrastina pensando na perfeição e acaba não conseguindo nada. As linhas tendem a se confundir entre as três categorias e acabamos ficando cansados, sobrecarregados e sempre em busca de gratificação instantânea, o que leva a atrasar tarefas e tarefas prioritárias.

40 milhões de pessoas em todo o mundo se sentem procrastinadores

O escritor Tim Urban (capa), especialista em procrastinação e inteligência artificial, autor do blog Wait But Why onde escreve sobre a mente de um mestre procrastinador, explica que: não podemos ignorar o fato de que 40 milhões de pessoas em todo o mundo se sentem procrastinadores e precisam de ajuda. E pensando nisso, se você também está familiarizado com o conceito de ‘agora não’, Tim, dá algumas dicas úteis para manter a procrastinação sob controle e evitar a avalanche de última hora.

Dividir tarefas é uma das maneiras mais eficientes de superar a procrastinação no processo; você está dividindo o tamanho da coisa toda assustadora. Cientificamente, esse processo também é conhecido como microprodutividade, em que você atinge um estado prolongado de produtividade em pedaços menores. Veja como você pode fazer isso:

  • Defina sua tarefa
  • Defina marcos menores
  • Exclua qualquer coisa irrelevante
  • Se recompense quando obter êxito na realização da tarefa
  • Você também pode tentar executar uma única tarefa por 1 hora e 5 minutos de modo de descanso. Após 2 horas, você pode fazer uma pausa de 15 minutos. Essas rajadas curtas são conhecidas por melhorar seu foco e poder de retenção.
  • Crie uma lista ou um calendário de suas tarefas, completo com cronogramas, mantém a visão bem à frente e o lembra do trabalho iminente que você tem evitado.

Crie uma “situação de pânico” para o seu cérebro

Nossas mentes são condicionadas a trabalhar com eficiência, por exemplo, quando vemos o fogo. Imediatamente agimos para apagá-lo. Então, por que não criar uma situação semelhante e enganar sua mente para que ele vá a todo vapor de antemão?

Ao criar uma experiência de quase prazo, não permitimos que nosso cérebro relaxe e o force a tomar decisões imediatamente. Isso nos ajuda a atingir o pico de eficiência porque, de acordo com nossos cérebros, não temos escolha.

Defina seu prazo dois dias antes do prazo real e trabalhe do seu jeito de acordo com o plano. Você também pode criar um rastreador de tempo que garante que você se mantenha responsável pela tarefa em questão e tenha aquela (boa) pressão constante sobre você para concluí-la.

As redes sociais são responsáveis por 54% da nossa procrastinação diária

Comer excessivamente assistindo uma série, enquanto você deveria fazer as compras é um dos muitos exemplos de como você está implantando tecnologia para procrastinar. De acordo com a pesquisa, as mídias sociais são responsáveis por 54% da nossa procrastinação diária.

A tecnologia, quando exacerbada, contribui para a gratificação instantânea e talvez seja por isso que você acha mais prazeroso verificar suas contas de mídia social do que terminar seu trabalho. A melhor maneira de evitar a autossabotagem da procrastinação com as redes sociais é bloquear todas as notificações durante seu horário de trabalho e manter o celular mais longe o possível de suas mãos.

O poder da vontade e Midfulness

Embora tenhamos discutido que você precisa dominar a tecnologia para evitar a procrastinação, você precisa de força de vontade para se tornar o mestre de si mesmo. Na maioria das vezes, a vontade é a chave para evitar qualquer tendência à procrastinação.

Ao planejar ações de uma tarefa por uma hora, pode ser que você divague por um momento ou outro. São esses momentos que determinam se você cumprirá seus prazos ou ficará divagando. Entretanto, e a princípio desse exercício diário, o mais importante não é conseguir realizar a tarefa daquela hora sem divagações, mas conseguir voltar à tarefa todas as vezes em que divagar.  Isso é Mindfulness, ou atenção plena. Midfulness é a prática de se estar no momento presente da maneira mais consciente possível. Ou seja, focar sua atenção em cada movimento, situação, respiração. Parece complicado, mas na prática funciona assim: todos os dias, por 2 minutos apenas, você se senta confortavelmente, coloque as mãos sobre os joelhos, feche os olhos e respire profundo. Durante esses 2 minutos, tente trazer os pensamentos ao som da sua respiração e aos sentidos dos seu corpo. Todas as vezes que sua mente fugir, traga-a de volta.

Da redação de Portal Raízes. Editado a partir dos saberes do escritor Tim Urban, em seu site Wait But Why. As informações contidas neste artigo são apenas para fins informativos. Se você gostou do texto, curta, compartilhe com os amigos, e não se esqueça de comentar. Pois isto contribui para que continuemos trazendo conteúdos incríveis para você. Siga o Portal Raízes também no FacebookYoutube e Instagram.

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.