Morre, aos 71 anos, o produtor musical Arnaldo Saccomani

Portal Raízes

Na madrugada desta quinta-feira (27), morreu o produtor musical Arnaldo Saccomani. Ele tinha completado 71 anos na última segunda (24). Segundo a família, ele sofria de insuficiência renal e diabetes e fazia hemodiálise desde julho do ano passado.

O artista estava num sítio da família, em Indaiatuba, no interior de São Paulo, no momento do óbito. Era pai de duas filhas e estava casado. Nos últimos anos, trabalhava no Dez ou Mil, quadro do Programa do Ratinho.

Saccomani é um dos grandes nomes da cena musical brasileira. Ele começou a carreira em 1960 e produziu nomes como Rita Lee e Tim Maia. O artista ficou conhecido do público ao participar de programas caça-talentos, onde costumava desempenhar o papel de exigente, imprevisível e carrasco, em várias atrações do SBT, como Ídolos, Astros e Qual é o Seu Talento?. Saccomani também produziu trilhas sonoras de novelas do canal, como Carrossel, Chiquititas e Carinha de Anjo.

O corpo será velado no dia de hoje no Cemitério Memorial Parque Paulista, em Embu das Artes, Região Metropolitana de São Paulo. A cerimônia está prevista para começar por volta das 10h.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.