Desafio de raciocínio lógico – Uma mãe tem 30 reais e quer dividir entre suas duas filhas. Que horas são?

Portal Raízes

Não precisa fazer cálculos, você consegue resolver esse problema com seu raciocínio lógico. Para isso é preciso lembrar das nossas maneiras de expressão, como quando falta alguns minutos para certo horário e dizemos por exemplo: são 20 para o meio-dia; 10 pras quatro e etc.

Através desse mesmo raciocínio, percebemos que, na letra d, a hora marcada é uma e quarenta e cinco (1:45). Ou seja, são quinze para as duas (15 para 2).

Como a mãe tem 30 reais quer dividir para duas filhas, são 15 para 2, entendeu?

Então, gabarito: letra d.

Compartilhe esse desafio nas suas redes sociais e veja se seus amigos acertam!

Nunca é tarde para se exercitar o cérebro, de acordo com o neurologista Leandro Teles, o aprendizado está ligado ao raciocínio lógico, que pode ser desenvolvido durante a vida toda.

“O raciocínio lógico é o raciocínio sequencial. É o tipo mais usado e importante de raciocínio. Ele amadurece com as associações mentais. A taxa de erro do raciocínio lógico é baixa. Com ele podemos resolver dilemas do dia a dia e questionamentos maiores”, explica.

Sempre em desenvolvimento

Segundo o neurologista, é possível aprender até o último segundo de vida, pois nosso cérebro não tem prazo de validade para o aprendizado e desenvolvimento da lógica: “Aprendemos do nascimento até morte. Evidentemente, o processo se modifica um pouco durante a vida. Por questões anatômicas, hormonais, motivacionais e mesmo socioculturais existem variações ao longo da vida, mas, em termos de potencial, o cérebro mantém sua capacidade de desenvolvimento”, pontua.

De acordo com Leandro Teles, não existe um limite de aprendizagem. “Sempre nos deparamos com exemplos de novas habilidades mentais e físicas em todas as idades, gerações e momentos da história humana”, diz.

Com informações de Alto Astral

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.