Esse casal de velhinhos tirou a mesma foto juntos em diferentes estações

Portal Raízes

Existem muitas formas de manifestarmos amor – a declaração é uma delas, flores também são bem-vindas, mas uma das mais poderosas sem dúvida é a fotografia. Ela é capaz de despertar sentimentos profundos, que vão da nostalgia ao êxtase.

A partir dessa perspectiva, conheça um casal de idosos que resolveu registrar a cada nova estação do ano o desenvolvimento do seu jardim, mas não apenas isso: com esse registro vemos muito amor, carinho e cumplicidade que têm um pelo outro. Teoricamente com imagens simples, sem muito apuro técnico, mas com muita força sentimental e autenticidade.

Nem precisamos falar muita coisa, apenas veja as fotos e prepare-se para a última delas:

\

E por último:

Acredita-se que nesse última fotografia, o senhor ficou do lado contrário para mostrar que na realidade, seu lugar é que está vazio, e sua esposa vive em seu coração.

Segundo fontes, essas fotos foram publicadas originalmente no The Sunday Times, em 1973, e foram tiradas por um fotógrafo chamado Ken Griffiths, mas não temos informações sobre o casal. Se alguém souber a identidade deles, pode deixar nos comentários!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.