Aquilo que nem o Cristo, tampouco Deus jamais fará por você

Nenhum homem pode fazer um mundo melhor como é o Universo: perfeito e harmonioso. Nenhum homem é capaz de converter outro homem.  Nem Jesus, durante a vida na terra, converteu ninguém, nem mesmo conseguiu impedir que um dos seus discípulos se pervertesse. Portanto, ninguém tem o poder para melhorar nada do que foi criado.

Uma coisa, porém, você pode fazer que nem Deus nem o Cristo podem fazer por você ou em seu lugar: fazer-se bom. Ninguém, exceto você, se pode fazer bom. Ninguém pode ser bom em seu lugar.

Você foi criado com a potencialidade de ser bom, mas você pode se fazer bom ou não. Você pode se fazer melhor do que Deus lhe fez – e também posso se fazer pior. É esta a onipotência do livre-arbítrio, para o Bem e para o Mal. Você esta aqui na Terra para fazer por si mesmo o que ninguém pode fazer – está aqui para se fazer bom.

A creaturidade que lhe foi dada deve manifestar-se em criatividade positiva para o bem. Mas que quer dizer ser bom? Ser bom é tornar explícito a sua natureza implícita. Ser bom é conscientizar de que as boas obras que  faz é a manifestação do poder criativo que você herdou da Divindade.

Ser bom é se convencer que dentro de si tem um tesouro oculto. Convencer-se de que deve fazer com que esse tesouro se manifeste. Ser bom é saber que você é a luz do mundo, mas que não deve deixar a sua luz debaixo de uma mesa e sim no alto do candelabro. Como recomendou o Cristo. Ser bom é conscientizar que a sua alma é uma pérola preciosa, que deve trazer à tona do oceano da sua vida.

Ser bom é fazer transbordar a experiência mística na vivência ética da fraternidade universal dos homens. Ser bom é fazer extremamente no seu Agir o que você faz internamente no seu Ser. Mas, se você não se fizer bom como pode e deve, a sua vida na Terra será frustrante, pois terá vivido 50, 60, 80 anos ou mais sem saber por quê.

Texto de Huberto Rohden, adaptado pelo Portal Raízes.

COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS