Esta foto é sua? Por favor, entre em contato

Melhor educar crianças fortes do que reparar adultos “quebrados”

Portal Raízes

A negligência emocional sofrida na infância pode gerar adultos pouco assertivos. E a assertividade é uma habilidade essencial para a vida. Ao se criar filhos assertivos, estes serão fortes e isso não só impedirá que tenham inúmeros problemas na área das relações interpessoais, mas também os permitirão gastar menos paciência e a  viverem de modo mais equilibrado e relaxado. Anthony Robbins disse que “a nossa forma de comunicar com os outros e com nós mesmos, em última instância determina a qualidade de nossas vidas”.

Assertividade é nada mais do que a capacidade de fazer valer os nossos direitos claramente apropriadamente, sem ser demasiado passivo ou muito agressivo, sem deixar de respeitar os direitos dos outros. No entanto, embora pareça muito simples, colocar a assertividade em prática, é um pouco mais complicado. Na verdade, a maioria das pessoas ao nosso redor não são assertivos, ou estão em muito pequena medida. Por quê?

Em muitos casos, a razão está em sua infância. Se nós crescermos em um lar onde há negligência emocional, onde as emoções são ignoradas ou somos punidos simplesmente por ter tentado a defesa de nossos argumentos e direitos, nossa oportunidade de desenvolver a assertividade foi aniquilado.

Confira abaixo os seus 10 direitos assertivos, os resultados da negligência emocional na idade adulta  e a base para o desenvolvimento da assertividade em qualquer fase da vida

1. Você tem o direito de julgar seu próprio comportamento, pensamentos e emoções, e assumir a responsabilidade por eles.

2. Você tem o direito de não oferecer desculpas ou explicações para suas decisões.

3. Você tem o direito de decidir se vai assumir a responsabilidade de resolver os problemas dos outros.

4. Você tem o direito de mudar de ideia.

5. Você tem o direito de cometer erros e assumir as consequências.

6. Você tem o direito de dizer “não sei”.

7. Você tem o direito de agir independentemente da “boa vontade” dos outros.

8. Você tem o direito de tomar decisões ilógicas.

9. Você tem o direito de dizer “não entendi”.

10. Você tem o direito de dizer “eu não me importo”.

Os resultados da negligência emocional na idade adulta

A negligência emocional é a incapacidade de responder adequadamente às necessidades emocionais das crianças. Na verdade, uma das tarefas fundamentais do pais é validar precisamente as emoções de seus filhos e ensiná-los a canalizá-las da maneira mais apropriada. Os pais são o modelo emocional de seus filhos, eles são as pessoas nas quais estes são refletidos e procuram apoio quando estão desorientados.

Se os pais não são capazes de reconhecer as emoções ou, quando os filhos as emergem, eles as diminuem através de frases como “não há razão para chorar” ou “nada aconteceu”. Se os pais agem assim,  estão dizendo ao filho que sua reação, que é completamente normal e compreensível, não é adequada. Como resultado os filhos se tornam adultos que:

– Não confiam em suas emoções e instintos porque foram ensinados a escondê-las e a ignorá-las;

– têm dificuldades em reconhecer emoções e sentimentos alheios, porque eles nunca foram lhes apresentados com verdade;

– têm problemas para expressar suas emoções de forma assertiva, então assumem posições extremas: permitem que outros lhe humilhem ou se tornam física e/ou verbalmente agressivos;

– desenvolvem baixa autoestima, porque acreditam que não são dignos de serem amados.

– experimentam sentimentos de culpa e acham que não têm o direito de serem eles mesmos se não sempre machucaram os outros.

A base para o desenvolvimento da assertividade em qualquer fase da vida

– Aprenda a reconhecer e rotular as próprias emoções. Saber exatamente como você se sente, e por que se sente assim,  irá ajudá-lo a gerenciar mais assertivamente essas emoções.

– Esteja ciente de seus direitos como pessoa, sabendo que você merece ser tratada com respeito. E esteja ciente de que os outros merecem o mesmo.

– Avalie as opiniões dos outros, sabendo que podemos discordar sem julgar ou menosprezar o outro. E exija o mesmo em troca.

– Desenvolva uma autoestima saudável, entendendo que os erros não diminuem o seu valor, mas são oportunidades de crescimento. Desta forma, você não vai se sentir ameaçado por outros e não vai responder de forma agressiva, nem deixá-los lhe atropelar.

Para as crianças  é essencial o desenvolvimento da prática da assertividade. Os pais precisam aprender a respeitar a individualidade e as opiniões de seus filhos mesmo pequenos. E embora possam parecer infantis ou impraticáveis, estas perguntas podem fazer maravilhas ao educar uma criança confiante e assertiva:

– O que você acha?
– Como se sente?
– O que você precisa?
– O que você tem a dizer?

Desta forma, as crianças vão aprender a:

– Descobrirem o que sentem e precisam.
– Reconhecerem que as suas emoções e necessidades são importantes
– Expressarem suas emoções e necessidades para que as outras pessoas as respeitem.

Publicado originalmente em Rincón de la psicología – Tradução e livre adaptação Portal Raízes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes
Portal Raízes Jornalismo Cultural

COMENTÁRIOS