5 feridas emocionais mais comuns

Portal Raízes

As feridas emocionais da infância são extrapoladas para a idade adulta como se tivessem acabado de ser vividas. Cada vez que uma criança aprende a se comportar, reagir, sentir e pensar de uma maneira, é difícil para ela, como adulto, mudar sua aptidão.

De acordo com estudos de psicologia, existem feridas emocionais comuns na infância que influenciam a forma como vemos e encaramos a vida quando crescemos.

1. O medo da rejeição

Se esse medo é infundado ou não, baseia-se no medo da rejeição social, de perder a proteção da figura de apego, entre outros fatores. A criança que tem medo da rejeição e cresce com ela se torna uma pessoa com baixa autoestima, pouco amor próprio, que sacrifica suas opiniões para adotar os critérios dos outros.

2. Ansiedade de separação

O medo de se separar dos pais e de se sentir sozinho e abandonado na infância forma um adulto medroso, tímido, sempre carente de afeto e, portanto, inseguro e submisso.

3. A humilhação

Ser humilhado tanto na família como socialmente quando seus parentes ou colegas minimizam suas qualidades e zombam delas, o criticam e desaprovam, pode tornar um ser humano tímido e sofredor em tirânico e implacável.

4. Injustiça

Ser vítima de exigências injustas ou repreensões não condizentes com suas faltas torna a criança insegura, desconfiada de tudo e de todos. Como adultos, eles podem se tornar pessimistas e negativos se também optarem por criticar excessivamente as pessoas ao seu redor.

5. Traição

Quando os adultos não cumprem as promessas que fazem e suas expectativas não se concretizam, a criança em questão pode acabar sendo desconfiada e antissocial.

Agora, além das anteriores, existem duas outras feridas emocionais que também são comuns.

Falta de afeto

Acreditamos que a falta de afeto é uma das feridas emocionais mais danosas. Quem cresce desprovido de afeto está condicionado a ser infeliz. O afeto é conhecido por ser tão necessário quanto o alimento, a higiene ou o cuidado com a doença, porque o cérebro, assim como o resto do corpo, precisa ser estimulado e provido de tudo o que precisa.

Quando as crianças têm falta de afeto, ficam mais vulneráveis ​​a contrair doenças, percebem um atraso no desenvolvimento físico, etc.

Abandono emocional

O abandono emocional é outra das feridas emocionais que, embora não desejada, atinge a idade adulta como se fosse uma doença genética. Homens e mulheres que foram privados da proximidade de seus pais quando crianças crescem sentindo-se vazios e desvalorizados.

O abandono emocional é um evento que ocorre quando os pais, por não terem tempo para ficar com os filhos ou porque não sentem afinidade por eles, ficam separados física e espiritualmente.

Fonte: Eres Mama, via El librero de Gutenberg, traduzido por Portal Raízes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.