Os pais querem o melhor para seus filhos. Se seu filho quebrar o braço, você provavelmente vai direto para o hospital, mas se a mesma criança estiver expressando ansiedade ou parecer deprimida, você pode não saber o que fazer. Assim como os adultos, as crianças passam por períodos difíceis em sua vida em que podem precisar de ajuda, orientação ou apenas alguém para ouvir.

As crianças lidam com o estresse escolar, estresse em casa, bullying, drama de amigos, brigas dos pais, alienação parental, tristezas incompreendidas por eles mesmos, possíveis e variáveis tipos de abusos físicos, verbais, psicológicos e/ou sexuais ao longo da infância. Às vezes, as crianças ficam envergonhadas ou com medo de dizer aos cuidadores que algo está errado, e outras vezes,  os adultos não têm certeza se um problema é passageiro ou é algo mais sério.

Felizmente, há muitas opções para pais ou cuidadores quando se trata de encontrar ajuda para seus filhos. Quer você procure ajuda de grupos de apoio, de um pediatra, do conselheiro escolar ou profissional de saúde mental, nenhum pai deve se sentir sozinho quando se trata de proteger a saúde mental de seu filho.

Aqui estão alguns sinais de que seu filho pode se beneficiar ao conversar com uma pessoa neutra, como um profissional de saúde mental ou um conselheiro escolar.

1 – Comportamentos desafiadores

Um dos sinais mais comuns de que seu filho pode precisar de aconselhamento profissional é se ele está tendo problemas de comportamento dentro e fora de casa. Você pode achar seu filho mais inclinado a discutir, reclamar e ficar na defensiva, mesmo com o menor pedido ou conversa. Preste atenção a essas respostas, especialmente se ocorrerem com mais frequência do que o normal. Muitas vezes, este é o seu filho pedindo ajuda sem que ele saiba.

Quando se trata de escola e outras atividades fora de casa, mantenha-se conectado aos professores e outros pais que interagem com seu filho no dia a dia. Considere deixá-los saber que você está preocupado e informá-lo se eles virem algum comportamento anormalmente desafiador em seu filho.

2  – Mudança repentina nos interesses e hábitos habituais

Se os hábitos alimentares ou de sono do seu filho mudaram drasticamente, não ignore essas mudanças. Dormir demais ou não dormir é uma bandeira vermelha, enquanto novos hábitos alimentares podem sinalizar depressão, ansiedade ou até mesmo um distúrbio alimentar.

Semelhante à mudança de comportamento, mudanças nos interesses e hábitos diários de seu filho podem sinalizar que seu filho também pode precisar de aconselhamento profissional. Mais comumente, mudanças significativas na alimentação, sono e interesses pessoais são mais fáceis de detectar e geralmente as mais sugestivas. Se essas alterações durarem mais de duas semanas, considere agendar um check-up com o médico do seu filho. Na verdade, eles podem apontar a direção certa se acreditarem que os estressores emocionais são a causa.

3 – Preocupação excessiva e tristeza

Talvez o mais direto e evidente desta lista, preocupação excessiva e tristeza são sinais claros de que seu filho pode precisar de ajuda além do seu alcance. Embora a preocupação e a tristeza possam ser normais, especialmente durante as transições e mudanças na vida, quando essas emoções se tornam excessivas e começam a consumir seu filho e seus pensamentos, é aí que você deve olhar mais de perto.

4 –  Regressões

As regressões são comuns quando um novo irmão nasce, quando ocorre o divórcio ou qualquer outra mudança importante na vida do lar. No entanto, quando as regressões acontecem aparentemente sem motivo, considere dar uma olhada mais de perto. Aqui estão algumas das regressões mais comuns que sinalizam que seu filho pode precisar de aconselhamento:

  • Enurese noturna (faz xixi na cama mesmo já sabendo ir ao banheiro sozinho)
  • Birras frequentes
  • Ansiedade de separação e apego
  • Ansiedade e medo excessivos
  • Regressão de linguagem (usando “conversa de bebê”)

5 – Isolamento social

Se você perceber que seu filho está se retraindo socialmente, isso também é um sinal para observar mais de perto o que está acontecendo emocionalmente. Muitas vezes, quando as crianças estão tristes ou ansiosas, elas se afastam de situações sociais e se voltam para dentro. Quando isso começa a acontecer de forma regular, e começa a prejudicar suas relações interpessoais, é quando chega a hora de considerar que pode ser mais do que apenas um dia triste. Isso é especialmente verdade se a timidez e as tendências introvertidas não forem traços de personalidade comuns para o seu filho.
Não sabe como pode ser o isolamento social quando criança? Aqui estão algumas maneiras pelas quais as crianças se isolam socialmente quando estão chateadas:

  • Almoçando sozinho
  • Evitando brincadeiras e outras atividades sociais
  • Não demonstra nenhum interesse em de sair de casa, nem mesmo para os passeios que mais gosta.

6 –  Falando que vai viajar e nunca mais voltar, falando em morte e automutilação

Este é muito urgentemente: se seu filho expressar quaisquer sentimentos ou ideias de automutilação, é importante que você procure ajuda imediatamente. Às vezes, isso pode se apresentar sutilmente com dicas de desesperança e sentimento de solidão. No entanto, outras vezes é muito mais direto e pode ser reconhecido pela presença de pensamentos suicidas e cortes.

Embora pensamentos suicidas e cortes possam parecer excessivos para crianças mais novas, é importante notar que os sentimentos de automutilação podem ser expressos de várias maneiras diferentes. Bater em si mesmo, bater a cabeça em alguma coisa e alfinetes na pele são sinais de automutilação em crianças pequenas. Se você perceber algum comportamento de automutilação, anote-o e procure ajuda para seu filho imediatamente.
Falar sobre a morte com frequência

É natural que as crianças explorem o conceito de morte e falem sobre isso de maneira curiosa, principalmente após a perda de um animal de estimação ou membro da família, mas conversas repetidas sobre morte e morrer merecem alguma exploração. Ouça as declarações sobre suicídio, automutilação ou pensamentos sobre matar outras pessoas. Falar sobre suicídio ou matar outra pessoa requer ajuda imediata.

7 – Aumento das queixas físicas

Às vezes , problemas de saúde mental em crianças assumem a forma de sintomas físicos, como dores de cabeça e dores de estômago. Depois de descartar quaisquer problemas médicos com um profissional de saúde, seu próximo passo pode ser um profissional de saúde mental. Algumas experiências de vida são inerentemente difíceis, estressantes ou emocionais, e ter uma pessoa profissional ou neutra para conversar pode beneficiar seu filho.

Dê ao seu filho a ajuda que ele merece

Obter ajuda para seu filho não deve ser uma tarefa emocionalmente desgastante e tediosa, e felizmente não é. Entretanto, quanto mais cedo você identificar os sinais de que seu filho precisa de aconselhamento profissional, mais rápido você poderá obter a ajuda de que ele precisa. A primeira visita é à pediatra e ela fará os encaminhamentos necessários.

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.