Estamos cientes dos benefícios que as árvores trazem para nossas vidas, seja nos proporcionando ar puro ou simplesmente uma boa sombra para descansar. Por isso, qualquer iniciativa que pretende aumentar o número de árvores dentro dos espaços urbanos deve ser celebrada.

É o caso do que está acontecendo em Campina Grande, na Paraíba, que tem uma população de 400 mil habitantes e cerca de 100 mil árvores dentro da cidade, o que totaliza aproximadamente uma árvore para cada quatro pessoas

A meta é de uma árvore para cada dois habitantes. Por isso, para ficar mais próximo de cumprir o objetivo, estão sendo feitas diversas ações para distribuir e plantar novas mudas e também orientar a população sobre a importância que as árvores tem na melhora da qualidade de vida de todos.

Dentre eles, destaca-se um projeto que existe desde 2007. Trata-se do “Adote uma Árvore“, uma ação da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), que faz mutirões de plantio, distribuição de mudas de espécies nativas, capacitação de educadores e de moradores e estudantes.

unnamed-6-580x336Foto via

Além disso, foram criados os projetos “Minha Árvore” e “Habite-se Ecológico“, que além de distribuir mudas de graça, ajudam a fazer o controle da quantidade de árvores plantadas e a situação de cada uma delas. Todas as iniciativas são geridas por secretarias municipais.

Consequentemente, a Prefeitura tem conseguido realizar um censo oficial sobre a situação da arborização em Campina Grande e com isso conseguido controlar efetivamente o cumprimento de normas de respeito ambiental em construções novas e de adequação de espécies para cada lugar onde será plantada. A ação desdobra-se ainda em levar esse tema às escolas, com o intuito de mostrar para nossas crianças a importância de plantar e cuidar corretamente de cada árvore nova, aumentando (ainda mais) a consciência dos pequenos sobre a importância de cuidar e preservar essas árvores.

451d5e5ee946944531ae

Foto © Leonardo Silva

ImageProxy (2)Foto via

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.