O “Pantera Negra” perdeu a luta (silenciosa) contra o câncer

Portal Raízes

O ator, diretor e roteirista Chadwick Boseman, estrela do filme “Pantera Negra”, morreu nesta sexta-feira (28), aos 42 anos, após uma batalha de 4 anos contra um câncer de cólon. A informação foi postada nas redes sociais do ator.

“É com imenso pesar que nós confirmamos a morte de Chadwick Boseman.⁣ Chadwich foi diagnosticado com câncer de cólon em terceiro estágio em 2016 e lutou contra ele nos últimos 4 anos enquanto ele se desenvolveu para um estágio 4.

Um verdadeiro guerreiro, Chadwick perseverou apesar de tudo e nos trouxe muitos filmes que tanto amamos. De Marshall a Da 5 Bloods, August Wilson’s Ma Rainey’s Black Bottom e muitos outros foram filmados enquanto e em meio a incontáveis cirurgias e quimioterapia.

A honra de sua carreira foi poder dar vida ao rei T’Challa em Pantera Negra.

Ele morreu em sua casa ao lado de sua mulher e amigos.

A família agradece pelo amor e orações e pede para que possam continuar respeitando sua privacidade durante esse período difícil”.

Chadwick começou a carreira em 2003, sua estreia no universo Marvel foi em Capitão América: Guerra Civil, de 2016, quando deu vida a T’Challa pela primeira vez antes de, em 2018, protagozinar o longa sobre o heroi Pantera Negra. Antes disso já havia estrelado em filmes e seriados, como Lei & Ordem, CSI, Arquivo Morto, Get on Up, Igualdade e Justiça e King: Uma História de Vingança.

O maior fruto do sucesso de Pantera Negra foi seu impacto cultural, que trouxe à tona questões importantes de representação negra na mídia, em destaque. E assim foi a maior bilheteria vinda de um diretor, um roteirista e um elenco majoritariamente negro.

Saúde em silêncio

Antes da notícia de sua morte, a luta de Chadwick contra o câncer nunca havia sido divulgada. No último mês de junho, ele havia sido fotografado deixando um hospital em uma cadeira de rodas e fãs se preocuparam com o estado de saúde do ator, mas nenhum tipo de explicação sobre o motivo chegou a ser dado por ele ou seus representantes.

Fontes: G1, Uol, Chadwick Boseman

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.