O que você pediria à uma estrela cadente? Se você gosta de observar fenômenos celestiais, reserve a noite do dia 14 de dezembro (quarta-feira) no seu calendário, pois a noite promete grandes vislumbres. A Geminídeas é a maior chuva de meteoros de 2022 e também é a maior dos últimos anos e pode revelar um espetáculo de cerca de 140 e 150 meteoros com fragmentos bem brilhantes.

O pico deve ocorrer no dia 14 de dezembro, e promete 150 “estrelas cadentes” por hora, com os meteoros sendo observados principalmente a partir das 00h. Porém, a radiante Geminídeas ocorre apenas seis dias depois da Lua alcançar a fase de Cheia, o que significa que a luz do luar deve ofuscar boa parte dos meteoros. Mesmo assim, em condições favoráveis boa parte dos meteoros serão visíveis a olho nu aos observadores. A temporada de meteoros Geminídeas dura até dia 20/12.

A chuva de Germinídeas tem muitos fragmentos e bem brilhantes, destaca o professor Jung, responsável pelo Observatório Heller & Jung. Outros fenômenos somam-se a esses durante o mês: do dia 17 ao 26, a chuva de meteoros Ursídeas estará iluminando o céu. A atividade máxima, com pico de 10 meteoros por hora, será nos dias 21 e 22 de dezembro.

Como acompanhar as chuvas de meteoros

Para acompanhar a olho nu, a Nasa aconselha que você adapte seus olhos com a escuridão, olhando para o céu, aguarde um pouco, em menos de 30 minutos no escuro, seus olhos se adaptarão e você começará a ver meteoros.

Você poderá acompanhar on-line com uma nova câmera que funciona 24 horas por dia no Observatório Heller & Jung. O equipamento foi instalado justamente para celebrar este período e a novidade é que a câmera — uma das 22 que fazem o monitoramento — transmitirá não apenas o registro, como também a análise dos meteoros ao vivo. Confira no vídeo abaixo:

__

Se você gostou do texto, curta, compartilhe com os amigos e não se esqueça de comentar, isso nos ajuda a continuarmos trazendo conteúdos incríveis para você.

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.