“A depressão é uma morte em vida” – Priscila Fantin

Portal Raízes

A atriz Priscila Fantin ficou conhecida pelos seus papéis em grandes novelas. Porém A carreira promissora não foi suficiente para evitar que Priscila Fantin desenvolvesse depressão. No entanto, ela conta que o teatro foi parte fundamental para que ela superasse o transtorno.

“A depressão é uma morte em vida. Você não sente nada, nem tristeza, nem raiva, alegria, nada”, disse a Mariana Godoy sobre o problema de saúde que enfrentou em 2008.

“O esporte me ajudou muito. Me ajudou a sair da estagnação. […] O teatro também é muito curativo, transformador. Me ajudou bastante”, explicou a atriz.

Além desse período conturbado, Priscila também comenta sobre os trabalhos sociais que realiza. “Tenho uma preocupação humana muito grande. Acho que falta humanidade para os humanos. A gente se olha muito pouco no olho e estende muito pouco a mão. Tem muita gente precisando.”

A entrevista foi exibida no Mariana Godoy Entrevista, na sexta-feira, 16 fevereiro de 2018.

Assim como Priscila Fantin, muitas pessoas acreditam que depressão é um sentimento de falta de sentido para tudo, e isso não é covardia, é uma doença mental, pode acontecer com todos nós. Um determinado dia nos damos conta de que as coisas perderam o sentindo que tinham, que já não há nada que nos anime ou motive, torna-se difícil levantar-se da cama, um sentimento profundo de tristeza ou irritabilidade aparece.

Aqui no Portal Raízes você encontra muitos artigos que possam te ajudar a superar isso, também não hesite em procurar um profissional, sabemos que por trás de toda depressão existe uma vontade enorme de ser feliz.

Referências: MSN, Istoé, Estadão

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.