O programa de vacinação de Israel está mostrando sinais positivos na redução de infecções por covid-19 e no total de hospitalizações pela doença na faixa etária acima dos 60 anos. As informações são da revista Época.

A queda parece ser mais visível em pessoas mais velhas e nas áreas onde houve maior avanço da imunização. Isso sugere que a vacina está surtindo efeito na saúde coletiva, e não somente o atual lockdown imposto no país, que reduz o contato entre as pessoas e, por consequência, o número de contágios.

Os números do Ministério da Saúde de Israel mostram que apenas 531 maiores de 60 anos dos quase 750 mil vacinados tiveram resultado positivo para coronavírus (0,07% do total) depois de receberem as doses da vacina, mas com sintomas leves. Outras 38 pessoas foram hospitalizadas com sintomas moderados, graves ou críticos da doença — uma proporção ínfima.

As infecções caíram consistentemente após o recebimento da primeira injeção

O Ministério da Saúde avaliou os prontuários médicos de quase 1 milhão de pessoas no total — 743.845 das quais tinham mais de 60 anos — até pelo menos sete dias após terem recebido uma segunda dose da vacina.

Houve três mortes em vacinados com mais de 60 anos, mas é impossível de determinar se eles contraíram a doença antes de receberem o imunizante ou antes que sua imunidade tivesse tempo de se desenvolver após a vacina.

Antes que a vacina tivesse tempo de fazer efeito, mais de 7.000 infecções foram registradas, pouco menos de 700 casos de doença moderada à crítica, e 307 mortes.

Os dados do Ministério da Saúde sugerem que as infecções caíram consistentemente de 14 dias após o recebimento da primeira injeção.

Segunda dose

Israel tem consistentemente dado às pessoas duas doses da vacina com não mais do que três semanas de intervalo, mas não se espera que a primeira dose forneça proteção por pelo menos duas semanas depois da injeção. Portanto, não é possível, olhando para esses dados, desvendar o impacto da segunda dose.

A vacina impede de transportar o vírus?

A pesquisa ainda não definiu se a vacina impede completamente as pessoas de transportar e transmitir o vírus. Assim, por enquanto, embora muitas pessoas permaneçam não vacinadas, aqueles que receberam a vacina ainda estão sendo instruídos a manter o distanciamento social e usar máscaras de proteção.

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.