Grande explosão em área portuária em Beirute, no Líbano

Portal Raízes

Segundo informações da UOL, uma grande explosão atingiu na terça (4) a região portuária de Beirute, capital do Líbano. O incidente gerou uma gigantesca coluna de fumaça e um forte deslocamento de ar que varreu a região. Houve um rastro de destruição, com destroços nas ruas, carros amassados e fachadas de prédios destruídas. A explosão abalou outras áreas da capital, danificando prédios e ferindo pessoas.  O governo libanês disse que toneladas de nitrato de amônio que estava em um armazém podem ter ligação com as explosões, mas ainda não apresenta uma causa oficial.

Qual o número de mortos? Até o início da tarde desta quarta-feira (5), autoridades diziam que 135 pessoas morreram em razão da explosão. Esse número deve ser atualizado nas próximas horas.

Quantos são os feridos? Ao menos 5 mil pessoas ficaram feridas, segundo autoridades locais. Esse número, no entanto, também é provisório. Há relatos de que pessoas estão presas sob escombros.

Quantos são os desaparecidos? Além de mortos pela explosão, há também feridos. Segundo o governador de Beirute, Marwan Abboud, mais de 100 pessoas não foram localizadas.

Qual foi o impacto da explosão? Segundo a Cruz Vermelha, a força da explosão fez com que pessoas fossem jogadas ao mar na zona portuária.

Os vídeos e imagens, da explosão e pós explosão, que circulam a internet são perturbadoras, imagens caseiras divulgadas demonstram o desespero da população local. Apesar de o país já ter sido alvo de ataques terroristas e viver atualmente um período de instabilidade econômica e política, não há evidências de que se trate de um atentado terrorista. O governo deverá investigar os responsáveis pelo armazém nos próximos dias.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.