Famoso por seu papel como Homem de Ferro, do universo cinematográfico Marvel, Robert Downey Jr, assim como Tony Stark (seu personagem), está decidido a usar a tecnologia para salvar o mundo. Como? isso ele explicou na na última terça-feira (4) na conferência de inteligência artificial Re:MARS, promovido pela Amazon.

Nomeada de “Footprint Coalition”, com previsão de lançamento em abril de 2020, o projeto é audacioso: visa despoluir uma área considerável da Terra até 2030.

“Entre robótica e nanotecnologia nós podemos, provavelmente, limpar o planeta de maneira significativa, se não inteiramente, em uma década”, afirmou. “Vou passar os próximos meses arrumando isso da maneira correta, e colocando pessoas inteligentes ao meu redor.”

Durante seu discurso, Robert afirmou que sente uma “silenciosa sensação de crise” em relação à Terra.

O site da Footprint Coalition (Coalizão da Pegada, em tradução livre) já está disponível para que interessados e possíveis apoiadores se inscrevam e saibam mais à respeito.

“Obrigado pelo seu interesse na Footprint, e por se importar com a Mãe Terra. Inscreva-se para receber nossa newsletter e você será o primeiro a saber sobre nossos próximos passos nesta jornada ambiental”, diz o site.

O anúncio de Robert Downey Jr. veio na esteira de um relatório do Centro Nacional de Descobertas para a Restauração do Clima, órgão ligado ao governo da Austrália, que divulgou um preocupante estudo sobre as mudanças climáticas.

De acordo com o estudo, se o aumento desenfreado da poluição do ar e das águas não frear até o meio deste século, os anos seguintes à ele resultarão em “graves e irreversíveis consequências, com impacto na população humana e sobretudo, nas espécies animais”. O relatório também aponta para “extinções em massa, ruptura da ordem econômica e caos social”.

Se você gostou do texto, curta, compartilhe com os amigos e não se esqueça de comentar, isso nos ajuda a continuar trazendo conteúdos incríveis para você.

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.