Juíz perdoa multa de idoso de 96 anos que levava filho para tratar câncer

Portal Raízes

Em muitos casos em que a justiça deve ser cega e imparcial, um toque de bondade no coração de um juíz pode livrar algumas pessoas que realmente merecem uma chance. O juiz estadunidense Frank Caprio revelou o lado sensível da justiça ao perdoar uma simples multa por excesso de velocidade em nome de um propósito maior: a saúde de um filho. A multa foi aplicada sobre o aposentado Victor Coella, de 96 anos, que dirigia acima do limite da velocidade em uma zona escolar para levar o filho, que sofre com um câncer, ao médico.

O pai, Victor Coella

Quando a acusação foi feita em corte, Victor respondeu com serenidade: “Não dirijo tão rápido, senhor juiz. Tenho 96 anos de idade e conduzo devagar. E apenas conduzo quando é preciso”, explicou. “Estava indo para as análises sanguíneas do meu filho, que é deficiente motor”. O juiz então lhe perguntou se o motivo da pressa era levar o filho ao medico. “Sim, eu o levo para fazer as análise de sangue a cada 15 dias porque ele tem cancro”, respondeu o senhor, claramente emocionado.

O juiz Frank Caprio

Ao perdoar a multa, o juiz também se emocionou, e por fim elogiou a atitude de um pai de quase 100 anos, cuidando de um filho doente de 63 anos, que originalmente foi passível de multa. “Você é um bom homem. Você é mesmo tudo aquilo que a América representa. Está aqui com 90 anos e continua a tomar conta da sua família. É algo maravilhoso que você faz”, afirmou o juiz Frank Caprio ao encerrar o caso e perdoar a multa de Victor Coella.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.