Sim, o Brasil está de luto. Afinal de contas, como se não bastasse todas as agruras que enfrentamos em nossos dias, além delas, estamos vivenciando a triste pandemia do novo coronavírus que já ceifou mais meio milhão de vidas. No começo eram só números que surgiam aqui e ali. Mas agora as mortes por covid-19 estão no centro de nossa sala de estar. E embora a esperança tenha surgido recentemente em forma de vacinas, como vamos lidar hoje e posterirormente com as perdas? O que você tem feito? Conte para nós.

Maurício Ferraz, repórter investigativo da Globo,  decidiu enfrentar o luto pela morte de 6 familiares por Covid,  fazendo uma peregrinação. O profissional tirou férias e saiu de São Paulo para ir até o Caminho da Fé e chegar até o Santuário de Aparecida, no interior paulista.

Ao todo, o percurso escolhido por Maurício tem 421 km e ele está fazendo cerca de 30 km por dia. O trajeto começou em Tambaú, no interior paulista, na companhia de mais dois amigos.

“Estamos passando momentos complicados, perdi seis familiares para a Covid. Senti que precisava refletir, desconectar”, contou ele, em entrevista ao programa Mais Você.

Você pode acompanhar a trajetória de Maurício em sua página no Instagram. Confira:

RECOMENDAMOS






Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.